Bolsa Bolsa nacional fecha em alta à boleia da EDP e Nos

Bolsa nacional fecha em alta à boleia da EDP e Nos

A bolsa nacional encerrou em alta, impulsionada pelos títulos da EDP, da Nos e da Jerónimo Martins. Entre as restantes praças europeias, o sentimento é também de ganhos.
A carregar o vídeo ...
Ana Laranjeiro 27 de abril de 2016 às 16:45

A bolsa nacional encerrou pela primeira vez esta semana em terreno positivo. O PSI-20 subiu 0,43% para 5.050,96 pontos, com 13 empresas em alta, quatro em queda e uma inalterada. Entre as restantes congéneres europeias, o sentimento é também de ganhos, com excepção para o índice grego, que fechou a perder 3,39%.

A praça helénica foi penalizada e os juros disparam no mercado secundário depois de o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, ter rejeitado o pedido do primeiro-ministro Alexis Tsipras para agendar uma cimeira extraordinária. Tusk admitiu, porém, um novo encontro do Eurogrupo para os próximos dias, com o objectivo de ultrapassar o impasse nas negociações entre o Governo de Atenas e os credores.

 

Por cá, destaque para as acções da EDP, Nos e Jerónimo Martins. A EDP somou 1,23% para 3,123 euros. A EDP Renováveis avançou 0,40% para 6,809 euros. A REN cresceu 0,33% para 2,74 euros. E a Galp Energia valorizou 0,17% para 12,02 euros.

A Nos fechou a subir 1,18% para 6,16 euros. A empresa liderada por Miguel Almeida anunciou esta terça-feira que os seus lucros aumentaram 5% no primeiro trimestre deste ano para 24,4 milhões de euros. Resultados que os bancos de investimento consideraram "sólidos".

A Pharol perdeu 3,50% para 13,8 cêntimos por acção. Na terça-feira, a agência de notação financeira Standard & Poor’s desceu em um nível a classificação da dívida da Oi, que está agora no nono patamar de lixo.

A Jerónimo Martins, dona dos supermercados Pingo Doce, encerrou a sessão desta quarta-feira a valorizar 1,23% para 14,355 euros. A retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos apresenta os seus resultados esta quinta-feira. Os analistas do CaixaBI esperam um conjunto de "resultados sólidos", em linha com as tendências apresentadas nos últimos três meses de 2015. Os lucros da retalhista terão aumentado 10,5% face ao período homólogo.

A Sonae apreciou 0,51% para 98,6 cêntimos.

No sector do papel, a Portucel apreciou 0,51% para 3,136 euros. A papeleira apresenta resultados também esta quinta-feira. Os analistas do CaixaBI acreditam, segundo uma nota de análise, que a empresa tenha registado lucros de 42,3 milhões de euros nos primeiros três meses deste ano. A Semapa subiu 0,41% para 11,125 euros. E a Altri cresceu 2,43% para 3,41 euros.

A Mota-Engil encerrou a subir 3,20% para 1,838 euros.

A travar maiores ganhos na bolsa nacional esteve o BCP que derrapou 2,36% para 3,73 cêntimos. Isto depois de El Confidencial ter referido na sua edição digital que o conselho de administração do BCP propôs ao Sabadell uma fusão entre os dois bancos, fonte oficial do BCP desmentiu "categoricamente" a notícia e diz que "não tem fundamento, já que não houve qualquer tipo de contacto".

Já o BPI encerrou a subir 2,11% para 1,111 euros.

 

(Notícia actualizada às 16:49)




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI