Bolsa Bolsa nacional perde 3,3 mil milhões após queda de 7%

Bolsa nacional perde 3,3 mil milhões após queda de 7%

A bolsa nacional fechou em forte baixa, a acompanhar a tendência das restantes praças mundiais, penalizada pela decisão dos britânicos de saírem da União Europeia. O PSI-20 chegou a cair para mínimos de 20 anos e a penalizar esteve sobretudo o BCP.
Bolsa nacional perde 3,3 mil milhões após queda de 7%
Bloomberg
Carla Pedro 24 de junho de 2016 às 16:51

O PSI-20 encerrou a sessão desta sexta-feira a cair 6,99% para 4.362,11 pontos, com 17 cotadas em baixa e uma em alta. Isto depois de ter chegado a recuar para mínimos de 20 anos.

 

Nesta jornada, o índice de referência nacional perdeu 3,3 mil milhões de euros de capitalização bolsista e um terço dessa perda foi assumido pela EDP, ao ver eclipsarem-se 1,15 mil milhões de euros no seu valor.

 

A banca foi o sector mais penalizado em toda a Europa e por cá não foi excepção, tendo o BCP sido o título que mais pressionou. O banco liderado por Nuno Amado fechou a recuar 12,20% para 0,018 euros.

 

Ainda no sector financeiro, o BPI desvalorizou 4,16%, terminando a sessão a valer 1,084 euros. Já os fundos do Montepio cederam 0,39% para 0,509 euros.

Também a energia contribuiu para o mau desempenho da praça lisboeta, com destaque para a EDP, que mergulhou 10,68% para 2,635 euros. A sua subsidiária para as renováveis cedeu 2,52% para 6,607 euros e a REN depreciou-se em 5,86% para 2,504 euros.

 

A Galp não fugiu à tendência negativa do sector. A petrolífera liderada por Gomes da Silva caiu 3,39% para 11,955 euros, num dia em que as cotações do crude estão também a perder terreno nos principais mercados internacionais - pressionado pela valorização do dólar, o que torna os activos denominados na moeda americana menos atractivos como investimento, como é o caso desta matéria-prima.

 

Na pasta e papel, a Navigator (ex-Portucel) recuou 3,71% para 2,676 euros, a Semapa resvalou 6,05% para 10,10 euros e a Altri desceu 6,22% para 3,00 euros.

 

No retalho, a Jerónimo Martins encolheu 5,50% para se fixar nos 13,50 euros, e a Sonae registou um decréscimo de 10,27% para 0,734 euros.

 

A pressionar a praça lisboeta esteve também a Nos, que afundou 10,53% para se estabelecer nos 5,432 euros.

 

A única cotada que hoje encerrou em alta foi a Pharol, a subir 2,11% para 0,097 euros.


(notícia actualizada às 17:19)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI