Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa corrige em linha com uma Europa "exigente com os resultados"

A bolsa nacional negoceia em território negativo, em linha com as principais praças europeias, numa altura em que os investidores se mostram "mais exigentes com os resultados" das cotadas. O Banco Comercial Português e a Galp Energia são os títulos que mais contribuem para a descida de 0,97% do PSI-20.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 21 de Outubro de 2009 às 12:43
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...
A bolsa nacional negoceia em território negativo, em linha com as principais praças europeias, numa altura em que os investidores se mostram “mais exigentes com os resultados” das cotadas. O Banco Comercial Português e a Galp Energia são os títulos que mais contribuem para a descida de 0,97% do PSI-20.

O índice principal (PSI-20) negoceia nos 8.760,20 pontos, com duas cotadas a subir e 18 a descer. As principais praças europeias negoceiam em baixa, com o Deutsche Bank a liderar as descidas, apesar de ter apresentado resultados acima do esperado. O sector que mais pressiona é o automóvel, depois de a Fiat e a Peugeot terem apresentado resultados desanimadores.

“À falta de notícias sobre dados económicos, o mercado olha para os resultados”, explicou ao Negócios o operador da GoBulling, Luís Gonçalves. O mercado europeu exerce alguma “pressão sobre os resultados. Não basta que estes sejam bons, é preciso que eles sejam muito, muito bons”, disse o operador da GoBulling.

Depois de resultados melhores do que esperado, do Deutsche Bank “o mercado europeu corrige em toda a linha”, com os vários sectores no vermelho referiu a fonte.

O sector da banca é o que mais pressiona o índice nacional, depois de o governador do Banco de Inglaterra, Mervin King, ter apelado para os governos enfrentem os problemas colocados pelos bancos, que são “demasiado importantes para falharem”. Para o responsável, regras de maiores requerimentos de capital por parte dos bancos não criarão uma protecção para os bancos evitarem crises.

O BCP a lidera as descidas, ao recuar 1,60% para 1,044 euros depois de o BPI ter afirmado que "ainda é cedo para comprar acções" do banco. O BES cai 1,18% para 5,198 euros e o BPI, que apresenta resultados amanhã, desce 1,11% para 2,502 euros.

A petrolífera Galp Energia deprecia 1,48% para 12,345 euros influenciada por um clima de “tomada de mais-valias face às subidas recentes”, referiu Luís Gonçalves.

Ainda no sector energético, a EDP recua 0,64% para 3,081 euros e a EDP Renováveis perde 0,76% para 6,96 euros.

A REN, que gere a rede de distribuição energética, é uma das duas únicas cotadas do índice principal a negociar em alta, ao avançar 0,77% para 2,998 euros.

Também a subir está a Mota-Engil, que ganha 0,33% para 4,224 euros, enquanto a sua rival Teixeira Duarte perde 3,31% para 1,167 euros, depois de ter valorizado para máximos, com a notícia de que uma sua participada indirecta, encontrou petróleo no Brasil.

A Portugal Telecom recua 0,36% para 8,093 euros, no dia em que o Bank of America Merrill Lynch diz que a PT é a "nova KPN" mas cotação actual já reflecte o seu valor.

Os analistas do banco de investimento adiantam que “a PT parece bem avaliada depois de um forte desempenho em 2009 e tendo em conta a elevada subida, permanecemos neutrais”.

A Zon Multimédia desce 1,33% para 4,691 euros e a Sonaecom recua 0,44% para 2,02 euros.

Ver comentários
Outras Notícias