Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa nacional avança 2% com apenas um título em queda

A praça de Lisboa vivia a segunda sessão consecutiva de ganhos, em sintonia com o sentimento positivo que se vivia nas principais bolsas do Velho Continente. O PSI-20 valorizava mais de 2%, numa altura em que apenas a Galp Energia não negociava em terreno positivo.

Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 16 de Janeiro de 2009 às 11:44
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...
A praça de Lisboa vivia a segunda sessão consecutiva de ganhos, em sintonia com o sentimento positivo que se vivia nas principais bolsas do Velho Continente. O PSI-20 valorizava mais de 2%, numa altura em que apenas a Galp Energia não negociava em terreno positivo.

O índice de referência da bolsa portuguesa apreciava 2,00% para os 6.469,15 pontos, com 19 cotadas em alta e apenas uma em queda. Com o desempenho da sessão de hoje, o PSI-20 já acumula um ganho de 1,9% desde o início do ano.

Os principais “benchmarks” europeus valorizavam pela primeira vez em oito sessões e registavam subidas entre os 1% e os 3% no dia em que o governo norte-americano anunciou um plano de emergência para permitir ao Bank of America efectuar a aquisição do Merrill Lynch. Também a expectativa de aprovação de um novo pacote de estímulos na China animava os investidores europeus.

A EDP Renováveis obtinha a subida mais pronunciada da sessão, com as suas acções a negociar nos 5,56 euros, o que representava um ganho de 5,70%. A Energias de Portugal (EDP) também partilhava deste desempenho positivo com um avanço de 2,94% para os 2,80 euros.

O sector financeiro acompanhava a tendência do índice europeu Dow Jones Stoxx para a banca que apreciava 1,94%. O BPI liderava as subidas ao ganhar 1,95% para os 1,669 euros. O Banco Comercial Português (BCP) subia 1,12% para os 0,81 euros, enquanto o Banco Espírito Santo (BES) somava 0,08% para os 6,105 euros.

Em destaque estava também a família Sonae, uma das mais penalizadas nas fortes quedas sofridas no ano passado. A Sonae SGPS valorizava 3,30% para os 0,501 euros, a Sonae Indústria ganhava 1,17% para os 1,645 euros e as acções da Sonaecom transaccionavam nos 1,089 euros, com um ganho de 1,78%.

Depois de ter desvalorizado cerca de 14% nas quatro sessões anteriores a reflectir os receios de que a Privado Holding se continue a desfazer da participação que detém na empresa, a Brisa avançava 1,88% para os 4,88 euros.

A Jerónimo Martins que ontem avançou mais de 10% vivia hoje um ganho menos acentuado. As acções seguiam a cotar nos 3,803 euros com uma valorização de 1,41% face ao valor de fecho da sessão de ontem.

No campo das telecomunicações, a Portugal Telecom avançava 3,08% para os 6,391 euros e a Zon Multimedia subia 1,00% para os 4,04 euros.

Em queda apenas negociava a Galp Energia que cedia 0,47% para os 7,684 euros. Ontem, a Autoridade da Concorrência (AdC) anunciou que a petrolífera desistiu de comprar à Sonae Distribuição as oito estações de serviço “herdadas” da compra dos activos em Portugal ao Carrefour.

Veja também:

As cotações de todas as acções da Bolsa portuguesa

O resumo do dia do índice PSI-20

As maiores subidas e maiores descidas do PSI-20

Os preços-alvo para as cotadas portuguesas

As estatísticas das acções portuguesas

A análise técnica de todas as cotadas portuguesas

A evolução de todos os fundos comercializados em Portugal



Ver comentários
Outras Notícias