Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa nacional dá reviravolta e avança 1% impulsionada pela Galp e EDP

O PSI-20, que chegou a negociar em mínimos de 2012 durante a sessão, acabou por encerrar em alta, impulsionado pelas cotadas do sector da energia. O destaque vai para a Galp, que valorizou mais de 3% depois de o petróleo ter atenuado as quedas.

A carregar o vídeo ...
Rita Faria afaria@negocios.pt 16 de Dezembro de 2014 às 16:50
  • Assine já 1€/1 mês
  • 56
  • ...

Depois de ter oscilado entre ganhos e perdas durante toda a sessão, a bolsa nacional acabou por encerrar em alta, com o PSI-20 a valorizar 1,06% para 4.741,07 pontos. Das 18 cotadas que compõem o índice, 12 encerraram em alta, cinco em queda e uma inalterada.  

 

A reviravolta na praça portuguesa – que chegou a negociar em novos mínimos de 2012 esta terça-feira – foi comum às congéneres europeias, que seguem em alta, impulsionadas, sobretudo, pelo sector automóvel e pelas cotadas da energia. O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 1,49%.

 

A contribuir para a mudança no sentimento dos mercados europeus esteve, essencialmente, o petróleo que atenuou a desvalorização, estando mesmo a valorizar em Nova Iorque. Depois de ter chegado a perder mais de 4% na sessão de hoje, o West Texas Intermediate (WTI) valoriza 1,63% para 56,82 dólares, enquanto o Brent, de Londres, cai 0,75% para 60,60 dólares, depois de ter atingido novos mínimos de Maio de 2009, com um recuo de 4,2%.

 

A contribuir para os ganhos está ainda uma série de dados positivos divulgados esta terça-feira, 16 de Dezembro, entre os quais a venda de carros que cresceu, na União Europeia, no mês de Novembro. No décimo primeiro mês de 2014 foram vendidos, na União Europeia (UE) 953.886 automóveis. E nos 11 primeiros meses do ano, foram vendidos 11.600.383, o que revela um crescimento de 5,7% face a igual período de 2013.

 

Na Zona Euro, o PMI cresceu dos 50,1 pontos em Novembro para os 50,8 pontos neste mês de Dezembro, superando as estimativas dos analistas que apontavam para os 50,5 pontos, segundo o FT.

 

Já a confiança dos investidores alemães subiu, em Dezembro, pelo segundo mês consecutivo, numa altura em que a maior economia europeia dá sinais de recuperação.

 

Na bolsa nacional, a impulsionar o PSI-20 estiveram, sobretudo, as cotadas do sector da energia, com destaque para a Galp, que valorizou 3,88% para 8,31 euros. A petrolífera nacional chegou a negociar em mínimos de Janeiro de 2009, com um recuo superior a 2%, acompanhando a queda do petróleo.

 

Ainda na energia, a EDP valorizou 2% para 3,158 euros e a EDP Renováveis ganhou 1,02% para 5,253 euros, depois de o Morgan Stanley ter colocado as duas empresas na sua lista de favoritas no sector eléctrico europeu.  

 

A contribuir para os ganhos do PSI-20 esteve ainda a Sonae, com um avanço de 3,27% para 1,01 euros, contrariando a congénere do retalho, a Jerónimo Martins, que perdeu 0,16% para 7,55 euros.

 

Na banca, a tendência foi indefinida, com o BCP a cair 1,33% para 7,4 cêntimos, o BPI a valorizar 0,16% para 1,249 euros e o Banif inalterado em 0,64 cêntimos. Isto depois de a Fitch ter melhorado a perspectiva ("outlook") da banca portuguesa de "negativa" para "estável", devido à estimativa que o crédito malparado no sector atingirá um pico no próximo ano e depois recupere, devido ao regresso da economia portuguesa ao crescimento.

 

Entre as cotadas que travou maiores ganhos da bolsa nacional esteve a PT, com um deslizae de 4,53% para 1,012 euros. A Terra Peregrin de Isabel dos Santos quer capitalizar e dar músculo financeiro à endividada Oi para ter um melhor rácio de troca numa fusão e aquisição no Brasil, estando disposta a considerar um aumento de capital da brasileira e um IPO parcial da PT Portugal, de acordo com Mário Silva, administrador da empresa, em entrevista à Reuters. Quanto à PT Portugal, o futuro também poderá ser uma dispersão de parte do capital.

 

Esta terça-feira, o Negócios escreve que Isabel dos Santos seduz Oi com promessas de dinheiro. A empresária angolana, no prospecto de OPA à PT SGPS que entregou na CMVM, mostra abertura para participar em eventuais aumentos de capital da Oi e não se opõe a movimentos de consolidação no Brasil.

 

Além da PT, também a Mota-Engil impediu maiores avanços da bolsa nacional, com uma desvalorização de 5,37% para 2,451 euros. A construtora já perdeu metade do seu valor só nos últimos três meses. Já a Teixeira Duarte desceu 0,85% para 70,4 cêntimos.

 

 

(Notícia actualizada às 17h05 com mais cotações)

Ver comentários
Saber mais Europa Nova Iorque Texas Londres União Europeia Zona Euro Galp economia negócios e finanças bolsa
Mais lidas
Outras Notícias