Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsa nacional em queda pressionada pela PT e EDP Renováveis

A praça portuguesa seguia a ceder 0,43%, pressionada pelas descidas superiores a 1,5% da Portugal Telecom (PT) e da EDP Renováveis. Na Europa o sentimento também era de queda, ainda que as bolsas europeias negoceiem com desvalorizações mais acentuadas.

Patrícia Abreu pabreu@negocios.pt 22 de Dezembro de 2008 às 10:09
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...
A praça portuguesa seguia a ceder 0,43%, pressionada pelas descidas superiores a 1,5% da Portugal Telecom (PT) e da EDP Renováveis. Na Europa o sentimento também era de queda, ainda que as bolsas europeias negoceiem com desvalorizações mais acentuadas.

O PSI-20 cotava nos 6.185,49 pontos, com 12 títulos em queda e oito a subir. Os principais índices europeus negociavam com descidas na casa dos 1% a 2%.

No mercado nacional, a Portugal Telecom era o título que mais pressionava, ao ceder 1,56% para os 5,995 euros. Ainda no sector das telecomunicações, a Zon recuava 0,96% para os 3,605 euros, enquanto a Sonaecom valorizava 1,65% para os 0,987 euros, depois do Millennium IB ter revisto em baixa o preço-alvo para a empresa.

O banco de investimento desceu o ‘target’ para a Sonaecom de 2,90 euros, para 2,85 euros, mantendo a recomendação de ‘compra’.

A pressionar seguia ainda a EDP Renováveis, a perder 1,55% para 5,135 euros, enquanto a EDP deslizava 0,08% para os 2,62 euros e a REN caía 2,68% para 2,725 euros.

A negociar em terreno negativo estava ainda o BES, a cair 0,78% para 6,35 euros, depois de ter estado a tombar mais de 2,5% no início da sessão.

Ainda no sector financeiro, o BPI cedia 0,52% para 1,517 euros, a corrigir dos ganhos das últimas sessões. Na semana passada, a instituição valorizou mais de 9%, animada pela venda dos 9,69% detidos pelo BCP no banco, à empresa da filha do presidente de Angola, Isabel dos Santos.

Já o BCP estava a contrariar o sentimento negativo, com o maior banco privado português a subir 0,92% para 0,768 euros.

Fora do PSI-20, destaque para a Reditus, que seguia a disparar mais de 8% para 8 euros, impulsionada pelo aumento de capital realizado pela companhia, para efectuar a compra da Tecnidata, que foi subscrito em 93,3%.

De acordo com informação divulgada pela empresa à CMVM, das 2.600.000 acções oferecidas à subscrição dos accionistas da Reditus, por um preço de 8,5 euros, foram subscritas “um total de 2.426.050 acções correspondendo a 93,3% da Oferta Pública de Subscrição”.

Veja também:

As cotações de todas as acções da Bolsa portuguesa

O resumo do dia do índice PSI-20

As maiores subidas e maiores descidas do PSI-20

Os preços-alvo para as cotadas portuguesas

As estatísticas das acções portuguesas

A análise técnica de todas as cotadas portuguesas

A evolução de todos os fundos comercializados em Portugal


Ver comentários
Outras Notícias