Bolsa Bolsas dos EUA caem pressionadas pela guerra comercial e tomada de mais-valias

Bolsas dos EUA caem pressionadas pela guerra comercial e tomada de mais-valias

As bolsas dos EUA fecharam a sessão em queda, pela primeira vez em quatro dias. A contribuir para a descida continua a guerra comercial.
Bolsas dos EUA caem pressionadas pela guerra comercial e tomada de mais-valias
Bloomberg
Sara Antunes 20 de agosto de 2019 às 21:02

Os principais índices bolsistas americanos fecharam o dia com quedas, depois de três sessões em alta.

 

O Dow Jones perdeu 0,65% para 25.967,09 pontos, o Nasdaq caiu 0,68% para 7.948,56 pontos e o S&P500 recuou 0,78% para 2.900,70 pontos.

 

Michael Pompeo, secretário de Estado norte-americano, revelou à CNBC que a Huawei não é a única empresa chinesa a representar riscos, o que deixou os investidores receosos sobre novos episódios da guerra comercial.

 

A condicionar a negociação está também a expectativa sobre a divulgação das minutas da última reunião da Reserva Federal (Fed) dos EUA, que serão divulgadas na quarta-feira, bem como as declarações do presidente da autoridade, Jerome Powell, que serão proferidas na sexta-feira, em Jackson Hole.

 

"Os mercados estiveram extremamente fortes nos últimos dias", por isso, explica Gary Bradshaw, gestor na Hodges Funds, é normal que os investidores tentem fazer mais-valias.

 

Entre as cotadas, o Netflix destacou-se, ao perder mais de 3% para 298,99 dólares, depois da Walt Disney ter anunciado que vai lançar o seu serviço de "streamin" no Canadá e nos Países Baixos em novembro.

 

Do lado oposto esteve a Home Depot, cujas ações subiram mais de 4% para 217,14 dólares, depois de ter apresentado resultados que superaram as estimativas dos analistas.




Marketing Automation certified by E-GOI