Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas europeias no vermelho pelo segundo dia consecutivo

As bolsas europeias caíram pelo segundo dia consecutivo, com empresas como a AstraZeneca e o banco Santander a escorregarem depois de declararem lucros aquém do que era expectável. Ainda assim, Janeiro foi o melhor mês para o Stoxx600 desde Julho.

Jorge Garcia jorgegarcia@negocios.pt 31 de Janeiro de 2013 às 17:42
  • Partilhar artigo
  • ...

O STOXX600 desceu 0,49% para 287,22 pontos. A queda dos últimos dois dias travou a subida do mês. Ainda assim, em Janeiro o índice valorizou 2,696%, o que corresponde ao maior ganho mensal desde Julho, mês em que o índice subiu mais de 4%. 

 

A subida do índice em Janeiro reflecte a apresentação de resultados de muitas cotadas. Desde 8 de Janeiro, 57% das empresas declararam lucros que excederam as expectativas dos analistas.

 

A contribuir para a queda desta última sessão do mês está a apresentação de resultados de diversas empresas cotadas que ficaram abaixo do esperado. A bolsa que mais caiu foi a espanhola, com o IBEX a ceder 2,45% para 8.362,30 pontos, num dia em que o Banco Santander revelou que os lucros nos últimos três meses subiram para 401 milhões de euros, quando os analistas previam um aumento para 801,6 milhões de euros.

 

As acções do banco liderado por Emilio Botín caíram 3,45% para 6,179 euros, contagiando o sector bancário em Espanha. O BBVA recuou 2,74% para 7,325 euros e o Banco Popular desceu 2,64% para 0,664 euros.

 

Mas não foi só o banco espanhol que desiludiu os investidores. O Deutsche Bank divulgou um prejuízo de 2,17 mil milhões de euros, muito abaixo dos 147 milhões de euros de lucro estimados pelos analistas. Apesar dos resultados, as acções do banco subiram 2,85% para 38,21 euros.

 

O DAX caiu 0,45% para 7.776,05 pontos. A travar a queda da bolsa alemã esteve a divulgação de um dado económico, que sugere que a economia do país está a conseguir recuperar da contracção económica registada no último trimestre de 2012. Em causa está a queda da taxa de desemprego, inesperadamente em Janeiro.

 

O francês CAC 40 depreciou 0,87% para os 3.732,60 pontos com destaque para a queda da L’Oréal que caiu 3,65% para 109,40 euros e para a Total que deslizou 1,70% para os 39, 93 euros.

 

As acções da Royal Dutch Shell também desceu 2,80% para 2.241,00 pences, no mercado londrino, e caiu 2,74% para 26,11 euros, no índice holandês, depois de ter anunciado que a queda de preços dos combustíveis na América do Norte está a afectar os resultados da empresa. Também a AstraZeneca depreciou 3,16% no índice britânico para os 3.053 pences.

 

O índice inglês, o Footsie, cedeu 0,73% para 6.276,88 pontos e o holandês AEX caiu 0,89% para 354,35 pontos.

 

Entre as principais cotadas europeias, destaque positivo para a Ericsson, que subiu 7,56% para 74 coroas suecas, depois de ter revelado que as receitas cresceram 5% para 66,9 mil milhões de coroas, quando os analistas estimavam que se situassem nos 65,8 mil milhões.

Ver comentários
Saber mais Bolsas Europeias DAX Stoxx600 CAC AEX IBEX Bolsas europeias STOXX600 IBEX CAC DAX AEX
Outras Notícias