Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas americanas avançam pela primeira vez em três sessões

As bolsas norte-americanas seguiam a negociar em alta com o Nasdaq a valorizar mais de 1%, depois da indústria dos serviços do país ter crescido a um ritmo mais elevado que o esperado no mês de Maio. O Dow Jones seguia a valorizar 0,70% e o Nasdaq ganhava 1,34%.

Lara Rosa lararosa@negocios.pt 04 de Junho de 2008 às 16:56
  • Partilhar artigo
  • 1
  • ...
As bolsas norte-americanas seguiam a negociar em alta com o Nasdaq a valorizar mais de 1%, depois da indústria dos serviços do país ter crescido a um ritmo mais elevado que o esperado no mês de Maio. O Dow Jones seguia a valorizar 0,70% e o Nasdaq ganhava 1,34%.

O índice industrial negociava nos 12.489,08 pontos e o tecnológico cotava nos 2.513,68 pontos.

A impulsionar as praças norte-americanas está a divulgação dos dados relativos ao sector dos serviços dos EUA, que revelam que a indústria cresceu mais do que o esperado. Estes dados estão a animar a negociação entre as bolsas americanas uma vez que sugere que a economia está a conseguir superar os efeitos da crise do sector imobiliário e dos preços altos dos combustíveis.

O índice ISM para a indústria dos serviços, que representa quase 90% da economia norte-americana, caiu para os 51,7 pontos, o que compara com os 52 pontos verificados em Abril, quando os economistas previam que o índice descesse para os 51 pontos.

A beneficiar dos dados divulgados sobre os serviços está a Intel que seguia a valorizar 2,83% para os 23,59 dólares, a Hewlett-Packard, a maior fabricante de computadores pessoais, que negociava nos 46,81 dólares ao ganhar 1,23% e a Ebay que seguia a avançar 3,23% para os 30,225 dólares.

A American Express negociava em alta ao valorizar 6% para os 46,97 dólares, depois de ter anunciado que vai apresentar lucros acima das estimativas.

A impedir maiores ganhos dos índices americanos está o Bank of América que caiu para o valor mais baixo desde 2002 depois da Merrill Lynch estimar que os lucros vão diminuir devido aos prejuízos derivados do crédito. Os títulos do banco seguiam a perder 2,52% para os 32,47 dólares.

Ver comentários
Outras Notícias