Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas dos EUA caem penalizadas pela Intel e Ford

As bolsas norte-americanas encerraram em terreno negativo, com o Nasdaq a cair mais de 1%, afectadas pelas resultados da Intel, abaixo do esperado pelos analistas, e por a Ford Motor ter apresentado inesperados prejuízos e anunciado que vai reduzir a prod

Susana Domingos sdomingos@negocios.pt 20 de Julho de 2006 às 21:46
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As bolsas norte-americanas encerraram em terreno negativo, com o Nasdaq a cair mais de 1%, afectadas pelas resultados da Intel, abaixo do esperado pelos analistas, e por a Ford Motor ter apresentado inesperados prejuízos e anunciado que vai reduzir a produção.

O índice Nasdaq fechou a cair 1,98% para os 2039,42 pontos, enquanto o índice Dow Jones desceu 0,76% para os 10928,10 pontos e o S&P500 recuou 0,85% para os 1249,13 pontos.

A Intel, a maior fabricante mundial de semicondutores, afundou 7,5% para os 17,10 dólares por acção, depois de ter revelado que as receitas do terceiro trimestre deverão oscilar entre 8,3 e 8,9 mil milhões de euros, abaixo da média das estimativas dos analistas, que apontavam para 9,04 mil milhões de euros.

Por seu lado, a Ford Motor recuou 2,21% para 6,19 dólares por acção, após ter divulgado as contas do segundo trimestre, apresentando, contra todas as expectativas, prejuízos de 123 milhões de dólares. Na ocasião de apresentação dos resultados, os responsáveis da Ford anunciaram que vão reduzir a produção de automóveis.

Hoje foram conhecidas as minutas da reunião de Junho da Reserva Federal norte-americana. «A informação reunida na reunião de Junho sugere que o crescimento da actividade económica abrandou substancialmente no segundo trimestre face ao rápido ritmo do primeiro trimestre», revela o texto da reunião.

O documento sustenta a ideia avançada por Ben Bernanke, presidente da Fed, perante o Senado de que poderá vir a fazer uma pausa no ciclo de subidas das taxas de juro, uma vez que a economia já está a abrandar e o efeito dos 17 aumentos consecutivos do custo do dinheiro ainda não se fizeram sentir na totalidade.

Embora as minutas sustentem a mesma ideia de abrandamento económico que Bernanke apresentou perante o Senado, o mercado de capitais continua a dar maior relevância às declarações do responsável pela política monetária para a inflação, que permanece elevada.

Perante a análise destes dois elementos, actividade económica e inflação, os analistas de Wall Street continuam divididos quanto à actuação de Bernanke na reunião de Agosto em relação.

Mais lidas
Outras Notícias