Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas dos EUA recuperam e valorizam animadas pelo relatório da S&P

Os principais índices norte-americanos recuperaram das quedas registadas no início da sessão e seguiam a valorizar. A principal justificação para a inversão de tendência foi a divulgação de um relatório da Standard & Poor’s que, apesar de acreditar qu

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 13 de Março de 2008 às 19:02
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os principais índices norte-americanos recuperaram das quedas registadas no início da sessão e seguiam a valorizar. A principal justificação para a inversão de tendência foi a divulgação de um relatório da Standard & Poor’s que, apesar de acreditar que ainda vão existir mais amortizações diz que as perdas associadas ao "subprime" estarão perto do fim.

O Dow Jones [indu] subia 0,28% para os 12.144,44 pontos e o Nasdaq [ccmp] ganhava 0,68% para os 2.259,24 pontos.

A S&P diz que as amortizações das instituições financeiras, para reflectirem as perdas com a crise do crédito, podem atingir 285 mil milhões de dólares, acima da anterior previsão de 265 mil milhões de dólares.

Apesar da visão mais "negra", a S&P até acredita que a grande maioria das amortizações foi já efectuada pelos bancos e que a necessidade de anunciar mais amortizações pode ter um fim à vista.

O relatório da S&P veio animar a negociação das bolsas, com os investidores a incorporarem esta perspectiva de fim à vista das perdas relacionadas com a crise de crédito de elevado risco.

O sector bancário, que estava a registar perdas acentuadas conseguiu recuperar parte das perdas. A JPMorgan recuava 0,26% para os 38,51 dólares, depois de ter perdido um máximo de 5,13% durante a sessão e o Citigroup descia 0,66% para os 21,07 dólares, após ter registado uma queda de 5,52%.

Ainda a contribuir para a subida dos índices está a valorização das matérias-primas. O ouro superou, pela primeira vez na história, os 1.000 dólares por onça, o que está a animar as mineiras. O petróleo também subiu hoje para um novo recorde, depois de ter tocado nos 111 dólares por barril em Nova Iorque.

A Exxon Mobil ganhava 1,68% para os 87,41 dólares e a Chevron subia 0,55% para os 87,51 dólares.

Esta tendência era partilhada por outros sectores. A General Motors ganhava 1,35% para os 34,42 dólares e a Boeing subia 2,32% para os 74,13 dólares. A Amazon apreciava 3,37% para os 68,75 dólares e a Apple valorizava 1,36% para os 127,74 dólares.

1 euro = 1,5573 dólares

Outras Notícias