Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas europeias caem mais de 2% com explosão nas estações de metro em Londres

As bolsas europeias, que iniciaram hoje a sessão em queda devido aos novos recordes do petróleo, estendiam agora as desvalorizações a mais de 2% depois da circulação no Metro de Londres ter sido suspensa devido a explosões em duas estações. O Dax, com per

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 07 de Julho de 2005 às 11:01
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As bolsas europeias, que iniciaram hoje a sessão em queda devido aos novos recordes do petróleo, estendiam agora as desvalorizações a mais de 2% depois da circulação no Metro de Londres ter sido suspensa devido a explosões em duas estações. O Dax, com perdas de 3%, era o índice que mais perdia enquanto a bolsa londrina deslizava 1,95%.

O Dow Jones Stoxx 50 depreciava 1,99% para os 3.030,18 pontos pressionado pela Royal Dutch Petroleum e pela Total. As petrolíferas corrigiam dos ganhos das últimas sessões.

O petróleo negociava acima dos 61 dólares por barril em Nova Iorque o que contribuía para a desvalorização das bolsas.

No entanto, estas registavam perdas de mais de 2% depois de uma explosão no Metro de Londres, na estação de Liverpool Street, no centro financeiro da capital britânica, ter feito vários feridos e causado a suspensão de toda a rede do metropolitano da cidade. Um segundo «incidente» ocorreu na estação de Edgware Road, no noroeste da cidade, segundo a Polícia dos Transportes britânica citada pela Agência Lusa.

Ambos os incidentes ocorrem menos de 24 horas depois de Londres ter sido escolhida como a cidade anfitriã dos Jogos Olímpicos de 2012 e numa altura em que decorre a cimeira do G-8, oito países mais industrializados do mundo, na Escócia.

O DAX alemão perdia 3% para os 4.477,14 pontos. A E.ON e a Siemens eram os títulos que mais pressionavam com quedas de 2,61% para os 71,70 euros e de 1,65% para os 60,32 euros.

O Footsie, que renovou ontem o máximo de três anos, seguia a deslizar 1,95% para os 5.127,60 pontos pressionado pelas petrolíferas. A BP escorregava 0,87% para os 624,5 pence e a Shell Transport perdia 1,10% para os 562,5 pence.

O IBEX caía 2,02% para os 9.634 pontos, depois de ontem ter renovado o máximo de quatro anos. A Telefónica contribuía para a tendência com perdas de 1,71% para os 13,25 euros, bem como o Santander que deslizava 1,95% para os 9,56 euros.

O CAC negociava nos 4.172,61 pontos ao cair 2,51% pressionado pelas quedas de 1,63% para os 199 euros e de 1,81% para os 67,9 euros da Total e da Sanofi-Aventis, respectivamente.

O AEX cotava nos 380,95 pontos com uma queda de 2,40%. Os títulos responsáveis eram a Royal Dutch Petroleum, que perdia 2,84% para os 54,80 euros e o ING Groep que deslizava 1,94%.

Ver comentários
Outras Notícias