Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas europeias encerram mistas; DAX soma 0,19%

As maiores praças na Europa encerram a sessões mistas, numa altura em que o Dow Jones e o Nasdaq resvalavam ambos mais de 1%, na expectativa de um «profit warning» da Intel. Em Frankfurt, o índice DAX somava 0,19%.

Pedro Carvalho pc@mediafin.pt 06 de Junho de 2002 às 17:45
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
As maiores praças na Europa encerram a sessões mistas, numa altura em que o Dow Jones e o Nasdaq resvalavam ambos mais de 1%, na expectativa de um «profit warning» da Intel. Em Frankfurt, o índice DAX somava 0,19%.

O DJ Stoxx 50 desvalorizava 0,82% a marcar 3.206,82 pontos, acompanhando a tendência do outro lado do Atlântico, onde o Nasdaq [CCMP] caía 1,9% para os 1.564,97 pontos, enquanto o Dow Jones [INDU] resvalava 1,18% para os 9.681,68 pontos.

A Intel, que deverá anunciar hoje as suas estimativas em termos de vendas futuras, caía mais de 4%.

Na Alemanha, o DAX [DAX] avançava 0,19% para os 4.633,12 pontos, apoiado nas valorizações de 1,1% da farmacêutica BASF e de 0,9% do Deutsche Bank. A queda de 1,7% das acções da Deutsche Telekom que marcavam 10,60 euros, travava uma subida mais acentuada do índice.

Em Paris, o CAC40 [CAC] cresceu 0,46% para os 4.098,18 pontos, ajudado pela subida de quase 4% das acções da empresa de cosmética LOréal que cotava nos 78,55 euros. A France Telecom cedeu 1% para os 18,40 euros, depois da Merrill Lynch ter reduzido a recomendação para as acções da operadora francesa.

Na praça londrina, o FTSE100 [UKX] caiu 0,63% para os 4.957,60 pontos, pressionado pelas acções da seguradora Prudencial e da operadora móvel Vodafone que escorregaram ambas mais de 3,5%.

O IBEX35 [IBEX] espanhol regrediu 0,55% para os 7.577,50 pontos e a Telefónica, com mais de 43 milhões de acções movimentadas, escorregou 3,6% para os 10,12 euros.

Na praça de Amsterdão, o AEX cresceu 0,64% para os 466 pontos, ajudado pela Ahold que trepou 5,16% para os 23,25 euros. A retalhista anunciou que esperava um crescimento nos lucros mais acentuado no segundo semestre do ano, depois de ter apresentado um crescimento de 3,8% para os 328 milhões de euros no primeiro trimestre.

Outras Notícias