Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas europeias iniciam mistas; DAX avança 0,09% e CAC cede 0,23%

As Bolsas europeias iniciaram a sessão mistas, com as petrolíferas a liderarem as perdas, acompanhando a desvalorização do barril de petróleo. O DAX alemão avançava 0,09% e o CAC, de Paris, recuava 0,23%.

Duarte Costa 09 de Janeiro de 2002 às 09:09
As Bolsas europeias iniciaram a sessão mistas, com as petrolíferas a liderarem as perdas, acompanhando a desvalorização do barril de petróleo. O DAX alemão avançava 0,09% e o CAC, de Paris, recuava 0,23%.

O Euro Stoxx, índice que agrega as 50 maiores empresas europeias em termos de capitalização bolsista, desvalorizava 0,35% para os 3.608,12 pontos.

Na Bolsa de Londres, o FTSE [UKX] perdia 0,32% para os 5.233,80 pontos. A Vodafone, líder mundial nas telecomunicações móveis, recuava 1,68% para as 1,75 libras (2,83 euros), enquanto a British Petroleum quebrava 1,15% para as 5,16 libras (8,34 euros), com o barril de «brent» a ceder 2,81%.

O principal índice da Bolsa de Frankfurt, o DAX [DAX], marcava 5.241,29 pontos, a subir 0,09%. A SAP, que desenvolve soluções informáticas para empresas, ganhava 5,58% para os 156,37 euros, depois de ter anunciado que as vendas em 2001 cresceram 16%, superando as estimativas, enquanto a Infineon Technologies valorizava 1,14% para os 24,92 euros, depois das casas de investimento UBS Warburg e Concord terem elevado as suas recomendações para «compra».

Na Bolsa de Paris, o CAC [CAC] desvalorizava 0,23% para os 4.557,72 pontos. A petrolífera Total Fina perdia 1,21% para os 154,90 euros e o maior grupo de media da Europa, a Vivendi Universal, cedia 1,11% para os 58,15 euros.

O IBEX [IBEX], de Madrid, escorregava 0,07% para os 8.181,20 pontos. O Santander Central Hispano perdia 1,28% para os 9,22 euros e a petrolífera Repsol quebrava 2,27% para os 13,80 euros.

Na Bolsa de Amesterdão, o AEX, avançava 0,16% para os 495,10 pontos. A Philips Electronics, que anunciou ontem que espera reduzir custos em mil milhões de euros por ano, a partir do segundo semestre de 2003, valorizava 1,75% para os 34,24 euros, enquanto a Royal Dutch Petroleum, que controla a petrolífera Dutch/Shell, perdia 0,74% para os 53,75 euros.

O MIBTEL [MIBTEL], da Bolsa de Milão, avançava 0,23% para os 23.042 pontos, impulsionado pela empresa de media Mediaset, que avançava 1,17% para os 8,49 euros.

Outras Notícias
Publicidade
C•Studio