Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas europeias valorizam com Blair a indiciar adiamento do conflito no Médio Oriente

As Bolsas na Europa fecharam com ganhos, depois de Tony Blair ter anunciado que «não há pressa para a guerra», quando interrogado sobre o dossier Iraque. Em França, a farmacêutica Sanofi-Synthelabo disparou mais de 9%.

Pedro Carvalho pc@mediafin.pt 18 de Fevereiro de 2003 às 17:04
  • Partilhar artigo
  • ...
As Bolsas na Europa fecharam com ganhos, depois de Tony Blair ter anunciado que «não há pressa para a guerra», quando interrogado sobre o dossier Iraque. Em França, a farmacêutica Sanofi-Synthelabo disparou mais de 9%.

O DJ Stoxx 50 valorizava 0,92% para 2.275,05 pontos, em sintonia com o Nasdaq [CCMP] e o Dow Jones [INDU] que progrediam ambos quase 2%.

A ajudar os mercados europeus a inverter a tendência de queda, que se prolongou até pouco antes da abertura dos mercados em Nova Iorque, esteve o discurso de Tony Blair que disse «não há pressa para a guerra», um indício que poderá significar o adiar de eventuais operações militares no Iraque.

Em Paris, o CAC 40 [CAC] apreciou 1,96% nos 2.938,63 pontos, com a farmacêutica Aventis a valorizar 3,9% e a rival Sanofi-Synthelabo a disparar 9,2% para 48,90 euros, depois da empresa ter anunciado que antevia um crescimento de 20% nos lucros em 2003.

O FTSE 100 [UKX] de Londres aumentou 1% para 3.729,50 pontos, ajudado pela subida de 7,7% da Kingfisher, após a retalhista de artigos para o lar ter desvendado lucros acima das estimativas. A Reuters afundou mais de 11%, com prejuízos e o anúncio da intenção de cortar 3 mil funcionários até ao final de 2006.

O DAX [DAX] alemão que ainda negociava progredia 0,73% nos 2.728,70 pontos. O fabricante de telefones móveis Siemens aumentava 3,1% para 37,85 euros, elevando para cerca de 10% os ganhos dos últimos três dias de Bolsa.

Em Madrid, o IBEX 35 [IBEX] apreciou 1,49% para 6.173,80 pontos, suportado pela operadora aérea Iberia que somou 4,6% para 1,37 euros, e pela valorização de 3,1% da eléctrica Endesa, cujos títulos valiam no final 11,81 euros.

Em Amesterdão, o AEX aumentou 0,9% para 293,72 pontos, tendo a petrolífera Royal Dutch avançado 1,47% para 37,38 euros, enquanto o ABN Amro, o maior banco holandês, subiu 1,63% para 15,59 euros.

Ver comentários
Outras Notícias