Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bolsas nos EUA em alta após maior queda dos últimos três anos

As principais praças norte-americanas seguem a valorizar, recuperando da forte queda registada na sessão de ontem, com os analistas a aconselharem os investidores a não venderem acções dadas as perspectivas de crescimento da economia e dos lucros das cota

Paulo Moutinho 28 de Fevereiro de 2007 às 15:07
  • Partilhar artigo
  • ...

As principais praças norte-americanas seguem a valorizar, recuperando da forte queda registada na sessão de ontem, com os analistas a aconselharem os investidores a não venderem acções dadas as perspectivas de crescimento da economia e dos lucros das cotadas.

O índice industrial Dow Jones [indu] ganhava 0,25% para transaccionar nos 12.247,24 pontos, enquanto o Nasdaq [ccmp] iniciou a negociação com uma valorização de 0,01% para 2.408,05 pontos.

Os índices norte-americanos, bem como as restantes praças mundiais, registaram fortes quedas na sessão de ontem, reflectindo a maior queda da história do mercado de capitais da China.

Hoje, tanto o Citigroup como a JPMorgan emitiram recomendações aos investidores, salientando que apesar da forte queda registada na negociação de ontem, devem manter as suas carteiras.

Segundo os bancos de investimento, há boas perspectivas em termos de crescimento dos lucros das cotadas, já que as previsões para o crescimento das economias mundiais não sofreram quaisquer alterações.

Após o "sell off", as cotadas voltam assim a transaccionar em terreno positivo. A Merck, a terceira maior fabricante de fármacos dos EUA, seguia a valorizar 1,78% para os 43,95 dólares, depois de ter revisto em alta as suas estimativas de lucros.

Também em alta seguia a Boeing, que somava 0,6% para 87,72 dólares, a ser animada pela revisão em alta da sua recomendação, de "underweight" para "neutral", por parte do banco de investimento JPMorgan.

A impedir maiores ganhos no Nasdaq estavam cotadas como a eBay que cedia 1,22% para 31,61 dólares, e a Yahoo! que perdia 0,84% para transaccionar nos 30,69 dólares.

Outras Notícias