Bolsa China cancela regra que suspende negociação quando bolsa cai 7%

China cancela regra que suspende negociação quando bolsa cai 7%

Esta quinta-feira a bolsa chinesa negociou apenas 30 minutos, altura em que estava a afundar 7%, por causa de um mecanismo de suspensão das negociações, que o regulador do mercado decidiu agora cancelar.
A carregar o vídeo ...
Nuno Carregueiro 07 de janeiro de 2016 às 14:57

A negociação na bolsa chinesa tinha este ano uma regra nova. As transacções eram suspensas quando o índice CSI 300 atingisse uma queda de 7%. O objectivo era limitar os movimentos acentuados e a forte volatilidade na bolsa do país, mas o efeito foi precisamente o inverso.

 

Na primeira sessão do ano a regra foi logo activada, com as negociações a serem suspensas quando a bolsa atingiu uma queda de 7%. E esta quinta-feira voltou a ser aplicada, quando nos primeiros 30 minutos de negociação do CSI 300 já desvalorizava 7%.

 

Contudo esta suspensão já não deverá voltar a repetir-se, uma vez que o regulador da bolsa chinesa decidiu esta quinta-feira, após uma reunião de emergência, suspender o mecanismo. O CSRC reconhece que este mecanismo não atingiu os efeitos desejados, mas assinala também que "não foi a principal causa para a queda forte das acções".

 

Uma decisão que surge depois da regra ter sido criticado pelos analistas, por considerarem que aumenta ainda mais as desvalorizações, já que os investidores antecipam a venda das suas posições para não correrem o risco de ficarem "presos" com a suspensão.

 

A suspensão era temporária (15 minutos) quando a bolsa caia 5% e definitiva durante o resto da sessão quando a desvalorização chega aos 7%.

 

"O limite de 5% é claramente muito reduzido para um mercado volátil como é o chinês", comentou à Reuters Tom Rafferty, economista da The Economist Intelligence Unit. "Assim que o limite de 5% é atingido, inevitavelmente os investidores despejam ordens de venda" por temerem que as acções vão cair mais até ser atingido o limite de 7%.

 

O mercado chinês não é o único onde estão instituídos estes mecanismos de suspensão de negociações. Em Wall Street existem três limites: 7%, 13% e 20%. Na Coreia do Sul são ainda maiores: 8%, 15% e 20%.

 

A introdução deste mecanismo de suspensão das negociações na bolsa chinesa foi apenas uma de uma série de medidas introduzidas pelas autoridades chinesas para travar a turbulência nos mercados accionistas do país.



(Notícia actualizada às 15:15 com mais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI