Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Cotadas da energia e bons dados na frente laboral atiram Wall Street para recordes

As bolsas do outro lado do Atlântico encerraram em alta, animadas pelos bons dados do mercado de trabalho e pela subida dos preços do petróleo, que impulsionoiu as cotadas do setor. O S&P 500 e o Nasdaq fixaram novos recordes.

Reuters
Carla Pedro cpedro@negocios.pt 05 de Agosto de 2021 às 21:22
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O índice industrial Dow Jones fechou o dia a somar 0,78%, para se fixar nos 35.064,25 pontos. Na negociação intradiária de terça-feira, o Dow marcou o nível mais elevado de sempre, nos 35.192,11 pontos.

 

Já o Standard & Poor’s 500 avançou 0,60%, para 4.429,10 pontos, o que constituiu um recorde de fecho. O máximo da sessão foi de 4.429,76 pontos, quase a superar o máximo histórico de 4.429,97 pontos fixado a 29 de julho.

 

Por seu lado, o tecnológico Nasdaq Composite valorizou 0,78% para 14.895,12 pontos, o que também representou o valor mais alto de sempre num encerramento de sessão. Na negociação intradiária atingiu um máximo de sempre, nos 14.896,48 pontos.

 

As cotadas da energia estiveram entre os melhores desempenhos, numa sessão de subida dos preços do petróleo.

 

Os investidores gostaram dos mais recentes dados do mercado laboral, depois de hoje ter sido anunciado que os pedidos iniciais de subsídio de desemprego caíram na semana passada.

 

Os intervenientes de mercado estão agora bastante expectatntes com mais números do mercado de trabalho que serão divulgados amanhã.

 

Os economistas preveem que tenham sido criados 880.000 empregos em julho – o que, a confirmar-se, será o segundo relatório do mercado de trabalho com contratações acima da fasquia dos 800.000.

 

Os investidores também querem saber durante quanto tempo é que os juros diretores permanecerão em mínimos históricos e têm tentado captar sinais nas declarações de responsáveis da Reserva Federal.

 

Ontem, o vice-presidente da Fed, Richard Clarida, sugeriu que o banco central poderá começar a reduzir as suas compras de ativos em finais deste ano. E disse sentir que há condições para subir as taxas de juro em finais de 2022.

Ver comentários
Saber mais wall street dow jones s&p 500 Nasdaq bolsas EUA
Outras Notícias