Bolsa CTT em máximos de quase 3 meses "salvam" PSI-20 das perdas da Europa

CTT em máximos de quase 3 meses "salvam" PSI-20 das perdas da Europa

A bolsa nacional valorizou pela terceira sessão consecutiva, animada sobretudo pela Jerónimo Martins e pelos CTT, que encerraram a sessão no valor mais alto desde meados de Maio.
CTT em máximos de quase 3 meses "salvam" PSI-20 das perdas da Europa
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 08 de agosto de 2018 às 16:46

A bolsa nacional escapou às perdas na Europa esta quarta-feira, 8 de Agosto, tendo o PSI-20 encerrado a sessão com uma subida ligeira de 0,09% para 5.636,26 pontos. Neste que foi o terceiro dia consecutivo de ganhos na praça portuguesa, seis cotadas fecharam em alta, oito em queda e quatro inalteradas.

À excepção do PSI-20 e do londrino Footsie o dia foi de perdas para os principais índices bolsistas europeus, penalizados pela guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. Depois de a Casa Branca ter confirmado ontem a imposição de tarifas de 25% sobre 16 mil milhões de dólares de importações chinesas, Pequim decidiu responder hoje na mesma moeda e anunciar taxas de 25% sobre um montante equivalente de importações norte-americanas.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, cai 0,25% para 389,50 pontos, num dia em que a descida de mais de 2% do petróleo também está a penalizar o sector da energia.

Em Lisboa, os ganhos foram impulsionados sobretudo pela Jerónimo Martins e pelos CTT. A retalhista valorizou 1,23% para 13,125 euros enquanto a empresa de correios somou 3,18% para 3,18 euros, o valor mais alto desde 15 de Maio.

A contribuir para a subida do principal índice nacional estiveram também a Navigator, a Nos e a Sonae. A papeleira somou 0,88% para 5,03 euros, a Nos ganhou 0,41% para 4,932 euros e a Sonae valorizou 0,10% para 99,35 cêntimos.

Pelo contrário, a EDP, o BCP e a Semapa travaram maiores ganhos. O banco liderado por Miguel Maya desceu 0,30% para 26,17 cêntimos, a EDP perdeu 0,92% para 3,462 euros e a Semapa recuou 1,23% para 20,15 euros.

Do lado das descidas ficou também a Galp Energia. A petrolífera desvalorizou 0,11% para 17,895 euros, acompanhando a descida das cotações da matéria-prima nos mercados internacionais.

Nesta altura, em Londres, o barril de Brent perde 2,83% para 72,54 dólares, com os receios em torno da guerra comercial a anularem o efeito da descida das reservas nos Estados Unidos.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI