Bolsa CTT sobem mais de 3% depois de reforço de Champalimaud

CTT sobem mais de 3% depois de reforço de Champalimaud

A empresa de correios postais valorizou mais de 3% em bolsa esta manhã, depois de a Manuel Champalimaud ter reforçado, na semana passada, a posição de maior acionista dos CTT.
CTT sobem mais de 3% depois de reforço de Champalimaud
Rafaela Burd Relvas 20 de maio de 2019 às 12:06
Os CTT valorizam, esta segunda-feira, 20 de maio, mais de 3% na bolsa portuguesa. Isto depois de, na semana passada, a Manuel Champalimaud SGPS, maior acionista da empresa, ter reforçado a sua posição, ao ter desembolsado um total de 233 mil euros para comprar mais de 100 mil ações.

Por esta altura, as ações dos CTT estão a avançar 2,48% para os 2,234 euros por ação. Contudo, esta manhã, já chegaram a valorizar 3,21%, o maior ganho desde o final de novembro do ano passado.

Os investidores recebem, assim, o reforço de posição feito pela maior acionista da empresa. Na semana passada, a Manuel Champalimaud comprou um total de 106 mil ações dos CTT, reforçando a posição na empresa de correios para 12,381%. Mas, ao todo, é-lhe imputado 12,684% do capital, já que vários dos administradores da holding detêm diretamente ações dos CTT. Entre eles, está o próprio Manuel Champalimaud, bem como João Bento, que irá substituir Francisco Lacerda na presidência da empresa.

Esta valorização em bolsa acontece também depois de o Barclays ter emitido uma nota de investimento na qual atribui um preço-alvo de 3 euros às ações dos CTT, com uma recomendação "equalweight" (manter). Tendo em conta a cotação atual, de 2,234 euros, a avaliação do banco britânico traduz um ganho potencial de 34%.

Apesar do movimento registado esta manhã, as ações dos CTT continuam a negociar em mínimos históricos, uma tendência que tem vindo a acentuar-se depois de Francisco Lacerda ter renunciado à presidência da empresa, a 10 de maio.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI