Bolsa Desde Setembro que o S&P 500 não caía há tantos dias seguidos

Desde Setembro que o S&P 500 não caía há tantos dias seguidos

As bolsas norte-americanas encerraram em terreno negativo, penalizadas sobretudo pela banca. O Standard & Poor’s 500 está a desvalorizar há cinco sessões consecutivas, negociando agora em mínimos de dois anos.
Desde Setembro que o S&P 500 não caía há tantos dias seguidos
Carla Pedro 11 de fevereiro de 2016 às 22:21

Os mercados accionistas do outro lado do Atlântico estiveram a negociar em queda, pressionados pelos crescentes receios de que os esforços dos bancos centrais para sustentar o crescimento estejam a perder dinâmica.

 

O índice industrial Dow Jones fechou a sessão desta quinta-feira a recuar 1,60% para 15.660,18 pontos.

 

Já o Standard & Poor’s 500 cedeu 1,2% para 1.829,06 pontos – naquela que foi a quinta jornada consecutiva no vermelho, a sua mais longa série de perdas desde Setembro do ano passado.

 

O índice está já 14% abaixo dos máximos históricos atingidos em Maio de 2014 e negoceia neste momento no nível mais baixo dos últimos dois anos.

 

O tecnológico Nasdaq Composite, por seu lado, resvalou 0,39%, para se fixar nos 4.266,83 pontos – a cerca de 18% do recorde estabelecido em Julho do ano passado. No acumulado de 2016, já regista uma depreciação de 14,7%, sendo o índice de Wall Street mais castigado este ano.

 

A contribuir para o movimento negativo esteve sobretudo o sector financeiro, com a banca a dar o mote – tal como aconteceu na Europa. Destaque para o Citigroup e para o Bank of America Corp., que afundaram mais de 6,5%.

 

A Boeing também sobressaiu do lado das perdas nesta quinta-feira, ao mergulhar 6,8%, depois de terem sido avançadas informações – por parte de fontes ligadas ao processo – de que as entidades reguladoras estão a verificar a contabilidade da construtora aeronáutica.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI