Bolsa Dólar forte condiciona época de resultados nos Estados Unidos

Dólar forte condiciona época de resultados nos Estados Unidos

Após 55 novos recordes em 2014, o S&P 500 ainda voltou a máximos históricos este ano. Os resultados das empresas têm defraudado as expectativas, penalizado pela valorização do dólar.
Dólar forte condiciona época de resultados nos Estados Unidos
André Tanque Jesus 27 de janeiro de 2015 às 20:22

Após renovar máximos históricos por 55 vezes em 2014, o S&P 500 ainda não o conseguiu bater nenhum recorde este ano. Um objectivo que os resultados das empresas têm tornado difícil. As estimativas dos analistas têm sido defraudadas, com a acentuada valorização do dólar a penalizar os resultados das cotadas.


O S&P 500 seguia a perder 0,75% para 2.041,58 pontos na terça-feira, 27 de Janeiro. O principal índice dos EUA chegou mesmo a cair quase 2%, num ano em que acumula perdas (ganhou 11,4% em 2014). Desde o recorde de 2.093,55 pontos, a 29 de Dezembro, não mais o índice voltou aos mesmos níveis, tendo negociado abaixo dos 2.000 pontos.


A época de resultados das empresas tem penalizado a bolsa norte-americana. Só na última sessão, a Microsoft chegou a cair mais de 10%, com a venda de licenças a empresas a ficar aquém das previsões. A DuPont a recuar quase 4%, com o dólar forte a penalizar os lucros. A Procter & Gamble e a United Technologies a perder mais de 3%, após apontarem que a moeda irá pesar nos resultados.


Mas também a economia mundial está a penalizar. A Caterpillar afundou 8%, após apresentar estimativas de resultados para 2015 que decepcionaram os investidores, justificando a projecção com a queda dos preços do petróleo. Isso mesmo reflectiram as encomendas de bens duradouros que, em Dezembro, recuaram 3,4%, o quarto mês consecutivo de quedas.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI