Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Dow Jones perde mais de 500 pontos numa sessão pela primeira vez desde 2008 (Act.)

As acções norte-americanas sofreram quedas acentuadas e levaram os índices de referência para as acções dos EUA a registar a maior perda desde Fevereiro de 2008. O Dow Jones destacou-se por perder mais de 500 pontos.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 04 de Agosto de 2011 às 21:09
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...
O índice Standard & Poor’s declinou 4,78% para 1.200,10 pontos numa oitava sessão em nove. Apenas três das 500 acções que integram o índice valorizaram na sessão de hoje, que foi marcada por uma forte descida entre generalizada entre as principais bolsas mundiais, devido aos receios com a evolução da economia norte-americana.

O Dow Jones Industrial Average perdeu 4,31% para 11.383,91 pontos. O índice eliminou mais de 500 pontos na sessão de hoje. A última vez que o índice desceu um tão grande número de pontos foi em Dezembro de 2008, na ressaca da falência do Lehman Brothers. O índice tecnológico Nasdaq depreciou 5,08% para 2.556,39 pontos. Em termos percentuais, a queda do S&P 500 e do Dow Jones foi a mais acentuada desde Fevereiro de 2009.

Entre as cotadas que integram o índice Standard & Poor’s 500 houve 13 que desceram hoje mais de 10%. A GAP foi uma delas. Depois de ter dito que vendas comparáveis de Julho desceram mais de 5%, a fabricante de vestuário desceu mais de 12% para 16,99 dólares.

Na Europa a sessão também foi de fortes perdas com a generalidade dos índices a recuar mais de 3% e a bolsa de Itália a descer mais de 5%. Os juros da terceira maior economia do mundo voltaram a subir e o prémio de risco que os investidores exigem para deter a dívida do país a 10 anos em vez da alemã saldou-se em 390 pontos, fixando um novo máximo desde a introdução da moeda única.

A subida dos juros de Itália e de Espanha tem sinalizado os receios dos investidores, que receiam que a crise da dívida das economias da periferia da Zona Euro contagie países que, pela sua dimensão, serão mais resgatar do risco de incumprimento.

“É inacreditável”, disse o responsável por estratégia de mercado do Ameriprise Financial, à Bloomberg. “É o nervosismo. O aspecto emocional está a agravar-se e deixou toda a gente convencida de que as coisas não estão a correr bem”, explicou.

“A situação na Europa está a preocupar toda a gente. Tivemos o impacto do Japão ter intervido no mercado monetário” e a preferência por activos de qualidade vai aumentar, disse o responsável.

O Japão e a Suíça anunciaram hoje descidas dos juros para contrariar a subida do valor das duas divisas que são consideradas activos de refúgio pelos investidores.

Isto porque a preferência pela moedas dos dois países que têm excedentes comerciais vinha a reduzir a aumentar do valor das duas divisas, penalizando a competitividade dos seus sectores exportadores.


(Altera título da notícia e actualiza com maior detalhe)
Ver comentários
Saber mais bolsa acções EUA Nasdaq Dow Jones S&P Standard & Poor's
Outras Notícias