Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Draghi provoca queda de 2,57% em Lisboa

A praça portuguesa desvalorizou pelo terceiro dia consecutivo penalizada pelo desempenho negativo dos pesos pesados: Galp, Portugal Telecom e EDP

André Veríssimo averissimo@negocios.pt 08 de Dezembro de 2011 às 16:45
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...
As praças europeias reagiram com perdas ao discurso do presidente do BCE, apesar do anúncio de nova descida da taxa de juro de referência para 1%. Lisboa foi uma das que mais caiu, com um PSI-20 a perder 2,57%.

Mario Draghi desapontou os investidores que olhavam para o BCE como um dos principais meios para a resolução da crise da dívida europeia. O presidente deixou bem claro que a autoridade monetária não vai acelerar a compra de obrigações dos Estados, cingindo-se ao mandato previsto nos tratados europeus. Os juros de Itália e Espanha dispararam.

A Galp Energia foi o título que mais penalizou a praça portuguesa, ao recuar 4,98% para os 11,44 euros, numa sessão em que o petróleo negociou em queda nos mercados de Londres e Nova Iorque. A petrolífera não esteve sozinha, com 14 cotadas do índice principal a fechar no vermelho, duas inalteradas e apenas quatro em alta.

A sessão foi negativa também a EDP, que desvalorizou 2,42% para os 2,42 euros. Já a EDP Renováveis ficou inalterada nos 4,30 euros.

O dia foi de quedas para as empresas de telecomunicações. A Portugal Telecom caiu 4,25% para os 4,688 euros, a Zon perdeu 4,34%, para os 2,071 euros, e a Sonaecom cedeu 0,32% para os 1,229 euros.

O sector do retalho também contribuiu para a tendência do mercado, com a Jerónimo Martins a recuar 1,14%, para os 13 euros, e a Sonae SGPS a perder 1,06% para os 0,468 euros.

A penalizar as praças europeias esteve também a divulgação dos novos valores das necessidades de recapitalização dos bancos europeus pela Autoridade Bancária Europeia (EBA, na sigla inglesa). O sector terá de reforçar o capital em 114,7 mil milhões de euros.

O anúncio penalizou os títulos da banca na Europa e os bancos portugueses não foram excepção. O BPI foi o mais castigado ao perder 3,38% para os 0,515 euros. Seguiu-se o BCP, que caiu 3,13% para os 12,4 cêntimos. O BES inverteu as perdas no final da sessão e avançou 0,74% para os 1,219 euros.

Banif contra a corrente

O Banif destoou das restantes cotadas. As acções chegaram a disparar 39,82% para 0,46 euros. Fecharam com uma valorização de 6,38% para os 0,35 euros e um forte volume. Foram transaccionadas 1,58 milhões de acções, 7,6 vezes mais do que a média dos últimos seis messes.

Fonte oficial da CMVM disse ao Negócios que a administração do banco comunicou ao regulador que “não conhece qualquer informação que justifique” o comportamento dos títulos.

Ver comentários
Saber mais bolsa fecho Draghi Portugal Telecom EDP Galp Banif
Outras Notícias