Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

E, à última hora, Wall Street reage com ganhos ligeiros a Yellen

Ao sugerir que um novo aumento dos juros pode ser decidido já em Março, a presidente da Reserva Federal dos EUA redirecciona agora o foco dos investidores para as políticas de estímulo - ainda pouco claras - de Donald Trump.

Reuters
Paulo Zacarias Gomes paulozgomes@negocios.pt 03 de Março de 2017 às 21:07
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...

As praças norte-americanas encerraram a última sessão da semana com valorizações ligeiras, depois de a presidente da Reserva Federal dos EUA ter voltado a sinalizar que a autoridade monetária pode subir juros já na reunião de Março.


Os maiores ganhos couberam ao Nasdaq - a somar 0,16% para 5.870,75 pontos - seguidos da linha de água do industrial Dow Jones (avançou 0,01% para 21.005 pontos) e do S&P 500 (que apreciou 0,05% para 2.383,08 pontos).

A reacção sem sinal definido por parte dos principais índices accionistas dos EUA às palavras de hoje da presidente da Fed Janet Yellen acabaram por dar lugar a valorizações muito ligeiras nos últimos minutos da sessão.


Os analistas consideram que, ao ter dito esta sexta-feira perante o Chicago Club que será "provavelmente adequado" subir juros na reunião deste mês, Yellen voltou a colocar o foco das atenções dos investidores sobre a falta de detalhes das políticas de estímulo económico prometidas por Donald Trump, nomeadamente em termos fiscais e de investimento.


Segundo Quincy Krosby, analista da Prudential Financial, Yellen confirmou que as condições económicas "correspondem ao mandato dual da Reserva Federal", passando assim o "testemunho da política monetária como suporte da economia e dos mercados para a agenda de política fiscal como delineada pela administração Trump."


Depois das declarações de Yellen, o dólar enfraqueceu a sua posição face ao euro e segue agora em forte queda, com o euro a valorizar 1,07% para 1,0619 dólares, no maior ganho diário desde 31 de Janeiro.


Entre as acções voltou a destacar-se a Snap, dona do Snapchat e que ontem se estreou em bolsa. Encerrou o dia a valorizar 10,27% para os 27 dólares, depois de conhecida a participação da NBC na oferta inicial.

Ver comentários
Saber mais Nasdaq Janet Yellen Donald Trump Reserva Federal economia negócios e finanças mercado e câmbios macroeconomia bolsa
Outras Notícias