Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

EDP, BCP e PT condicionam bolsa nacional; PSI-20 cede 0,62% (act)

A bolsa nacional encerrou a perder 0,62% condicionada pelos três títulos mais pesados do índice, EDP, BCP e PT. A Brisa contrariou a tendência da sessão, atenuando as perdas da praça lisboeta.

Joaquim Madrinha 06 de Agosto de 2003 às 17:27
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A bolsa nacional encerrou a perder 0,62% condicionada pelos três títulos mais pesados do índice, EDP, BCP e PT. A Brisa contrariou a tendência da sessão, atenuando as perdas da praça lisboeta.

O PSI-20 encerrou nos 5.727,35 pontos a desvalorizar 0,62% com duas empresas a subir, dez a descer e oito inalteradas.

Apesar da perda, a bolsa nacional foi a que registou o menor deslize entre as suas congéneres. Para Vasco Balixa, analista da Ok2deal, «há uma má gestão das expectativas por parte dos investidores».

O especialista cita o exemplo da Cisco, cujos resultados apresentados foram dentro do limite esperado, no entanto, está a ser penalizada com uma queda superior a 6%.

Para o especialista, «o mercado continuou a tendência de queda que tem vindo a materializar nas últimas sessões sem notícias significativas».

O destaque da sessão, para o analista, foi o Banco Comercial Português (BCP) pelo volume (mais de 10,5 milhões de títulos). Em relação ao volume da sessão, Vasco Balixa afirma que «não foi uma sessão de praia, pois os títulos de maior influência na praça tiveram um volume significativo».

Contudo, o volume negociado preocupa o analista no sentido em que «podemos estar a assistir a uma queda sustentada», afirma.

O BCP, a Electricidade de Portugal (EDP) [EDP] e a Portugal Telecom (PT) [PTC] foram os títulos mais penalizadores para o índice nacional. O banco de Jardim Gonçalves perdeu 1,35% encerrando a cotar nos 1,46 euros e a eléctrica desceu 1,01% para os 1,97 euros.

Já a PT, que segundo Vasco Balixa «continua a ser um título muito pressionado» desde que a Telefónica anunciou dividendos extraordinários, tocou, ao longo da sessão, os mínimos de Março e encerrou a valer 5,90 euros, menos 0,67% que o valor de fecho da sessão de ontem.

O Banco Espírito Santo (BES) [BESNN] encerrou a perder 0,31% para os 12,75 euros e o Banco BPI [BPIN] que, ao longo da sessão chegou a estar a ganhar 0,42%, fechou nos 2,35 euros a descer 0,84%.

A Brisa [BRISA] e a Jerónimo Martins [JMAR] foram os únicos títulos a amealhar valor. Para o mesmo analista, «a Brisa foi o título de refúgio e está a ser beneficiado pelos recentes números que indicam uma recuperação no tráfego das auto-estradas». A concessionária encerrou a valer 5,02 euros, a ganhar 0,80%.

A Jerónimo Martins [JMAR] subiu 1,49% para os 6,83 euros, com 15.301 títulos negociados. No entanto, não houve qualquer notícia que suportasse a subida dos títulos.

A Novabase [NBA], a Impresa [IPR], a Cimpor [CIMP], a Sonae [SON] e a SonaeCom [SNC] foram alguns dos títulos que não registaram variações.

Outras Notícias