Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

EDP e Cimpor pressionam Euronext Lisbon; PSI20 cede 0,51%

A Bolsa nacional negociava em queda, arrastada pelas acções da Electricidade de Portugal (EDP), e da Cimpor, esta última a negociar sob a forma de «ex-dividendos». O PSI20 cedia 0,51%, mas a Brisa caminhava em direcção dos 6 euros.

Negócios negocios@negocios.pt 06 de Junho de 2002 às 10:12
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A Bolsa nacional negociava em queda, arrastada pelas acções da Electricidade de Portugal (EDP), e da Cimpor, esta última a negociar sob a forma de «ex-dividendos». O PSI20 cedia 0,51%, mas a Brisa caminhava em direcção dos 6 euros.

O PSI20 [PSI20] marcava 7.217,80 pontos com 12 acções em queda, quatro inalteradas e as restantes quatro a valorizarem.

A Electricidade de Portugal (EDP) [EDP] voltava a liderar a liquidez, a par da Sonae SGPS, com 1,25 milhões de acções movimentadas. Os investidores aproveitavam a valorização de 1,38% conseguida na véspera para a realização de mais-valias. A eléctrica cedia 0,91% para os 2,18 euros.

A Cimpor [CIMP] que na véspera valorizou 3,35%, caía hoje 2,22% para os 21,12 euros. Os investidores que procederem hoje à compra das acções da cimenteira já não serão contemplados com os dividendos relativos ao exercício de 2001.

A Portugal Telecom (PT) [PTC] replicava o comportamento da espanhola Telefónica, com uma queda de 0,4% para os 7,54 euros, enquanto a Vodafone Telecel [TLE] crescia 0,14% para os 6,96 euros.

No sector da banca, os três bancos listados no índice negociavam em queda, e o BPI [BPIN] era o mais penalizado em termos percentuais, registando uma descida de 0,8% para os 2,49 euros. O Banco Comercial Português (BCP) [BCP] cedia 0,27% para os 3,66 euros.

A Brisa [BRISA] que na véspera avançou 2,61%, voltava a acumular uma valorização de 0,17% elevando a cotação para os 5,91 euros. Ontem, o Deutsche Bank emitiu uma recomendação de «compra» para as acções da concessionária de auto-estradas, e um preço alvo de 7,3 euros.

Acções da Ahold valorizavam 4,75%

A generalidade das praças na Europa negociavam com ganhos, numa altura em que o DJ Stoxx 50 valorizava 0,29% a marcar 3.242,66 pontos.

Na praça de Amsterdão, o índice AEX apreciava 0,64% para os 465,98 pontos, suportado pelas acções da Ahold que trepavam 4,75% para os 23,16 euros. A retalhista anunciou que esperava um crescimento nos lucros mais acentuado no segundo trimestre do ano, depois de ter apresentado um crescimento de 3,8% para os 328 milhões de euros no primeiro trimestre.

A petrolífera Royal Dutch acumulava uma valorização de 0,7% elevando o preço para os 57,75 euros, depois da Goldman Sachs ter elevado as estimativas em termos lucros em 2002 em 5%. A Goldman Sachs reviu em alta também os lucros da britânica British Petroleum (BP) e da francesa Total Fina Elf.

Na praça londrina, o FTSE 100 [UKX] somava 0,01% para os 4.989,50 pontos, com as acções da BP a subirem 0,9% para as 5,69 libras (8,83 euros). A Dixons avançava 1,4%, a beneficiar dos números da Ahold. A tabaqueira British American Tobacco e a seguradora Prudential travavam maiores valorizações do índice, com queda de 2,2% e 1,5%, respectivamente.

Na praça de Paris, o CAC40 [CAC] progredia 0,39% para os 4.095,62 pontos, ajudado pela subida de 1,6% da seguradora Axa e de 1,5% das acções da retalhista Carrefour, cujas acções marcavam 53,55 euros.

A France Telecom (FT) era a mais penalizada do índice denotando uma queda de 2,6% para os 18,10 euros. A operadora de telecomunicações anunciou que irá ter de proceder à recompra de acções da Orange, pagando para o feito um prémio de 64%. A eléctrica alemã E.On, depois de ter vendido a participação da unidade suíça Orange Communications, ficou com uma opção de venda de acções da Orange à FT a um preço de 9,25 euros, acima da cotação actual de 5,60 euros.

Na Alemanha, o DAX [DAX] crescia 0,64% para os 4.653,74 pontos e a liderarem os ganhos, as acções SAP cresciam 4,8% para os 114,70 euros, depois de ontem o fabricante de «software» ter reiterado as expectativas dos lucros em 2002.

Em Madrid, o IBEX35 [IBEX] seguia com uma valorização de 0,22% para os 7.635,90 pontos, com a desvalorização de 0,8% do Telefónica a ser compensada pela subida de 1,5% do grupo de construção Dragados, cujas acções marcavam 18,93 euros.

Por Pedro Carvalho

Outras Notícias