Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

EDP e PT pressionam Bolsa nacional para queda de 0,33% (act.)

A Euronext Lisbon fechou em queda, e o PSI20 desceu 0,33%, pressionado pela Electricidade de Portugal e Banco Comercial Português. A Vodafone Telecel voltou a ser a mais negociada e a JM ganhou 3,62%.

Pedro Carvalho pc@mediafin.pt 27 de Março de 2003 às 17:01
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A Euronext Lisbon fechou em queda, e o PSI20 desceu 0,33%, pressionado pela Electricidade de Portugal (EDP) e Banco Comercial Português (BCP). A Vodafone Telecel voltou a ser a mais negociada e a JM ganhou 3,62%.

O PSI20 [PSI20] fechou nos 5.405,59 pontos, com oito títulos em queda, sete a valorizarem e cinco sem modificação no preço.

A Electricidade de Portugal (EDP) [EDP] caiu 1,25% para 1,58 euros, depois de na véspera ter acumulado um ganho de 2,56%. O BCPI manteve a recomendação de «compra» para as acções da EDP, e um preço alvo, para o final de 2003, de 2,1 euros. Apesar do prémio pago pela eléctrica na compra da Naturcorp, o banco enaltece a componente estratégica do negócio.

O Banco Comercial Português (BCP) [BCP] também com um rasto de duas sessões a acumular ganhos, desceu hoje 2,96% para 1,31 euros.

A Portugal Telecom (PT) [PTC] conseguiu valorizar 0,76% para 6,66 euros, e a Vodafone Telecel [TLE] fechou inalterada nos 8,50 euros. A Vodafone Group Plc comunicou hoje já ter 67,45% dos direitos de voto da Telecel, depois das compras feitas em Bolsa ontem. Hoje, a Telecel voltou a destacar-se na liquidez, movimentando 6,16 milhões de acções.

A Brisa [BRISA] com 6,14 milhões de títulos negociados, somou 0,61% para 4,92 euros, com uma passagem de 5,29 milhões de acções às 15h38 a inflaccionar a liquidez.

A Jerónimo Martins [JMAR] aumentou 3,62% a marcar 6,58 euros. A retalhista, com cerca de 1,5% do capital do BCP, disse hoje que não vai subscrever na totalidade os seus direitos no aumento de capital do banco. A empresa liderada por Soares dos Santos pretende igualmente reduzir o nível de endividamento em cerca de 70% nos próximos dois anos, disse Luís Palha ao Negocios.pt.

Ver comentários
Outras Notícias