Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

EDP e Sonae arrastam bolsa

A bolsa nacional seguia em queda, arrastada pela Energias de Portugal e pela Sonae SGPS. O PSI-20 acompanhava a tendência europeia com uma queda de 0,19%, numa sessão em que a Mota-Engil voltava a renovar o máximo histórico.

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 08 de Setembro de 2005 às 09:54
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A bolsa nacional seguia em queda, arrastada pela Energias de Portugal e pela Sonae SGPS. O PSI-20 acompanhava a tendência europeia com uma queda de 0,19%, numa sessão em que a Mota-Engil voltava a renovar o máximo histórico.

O principal índice da bolsa nacional cotava nos 7.898,23 pontos, com sete acções em queda, cinco a subir e oito inalteradas. Na Europa as bolsas desvalorizavam, penalizadas pela subida do petróleo e pelos resultados de empresas como a Lafarge, que falharam as expectativas dos analistas.

A Energias de Portugal [edp] perdia 0,43% para os 2,31 euros, enquanto a Sonae SGPS [son] escorregava 0,76% para os 1,30 euros, um dia depois da Modelo Continente ter apresentado resultados e um dia antes da própria «holding» revelar os seus números relativamente ao primeiro semestre.

Os lucros da Modelo Continente atingiram os 43 milhões de euros no primeiro semestre do ano, um crescimento de 35% face ao mesmo período do ano passado. Em ambos os períodos foram incluídos resultados não recorrentes de 29 milhões e de 15 milhões de euros, respectivamente, explica o comunicado. O valor final dos lucros beneficia ainda de uma redução dos encargos financeiros de 5 milhões de euros justificado pela redução do custo da dívida da empresa e pela manutenção da tendência de diminuição do endividamento financeiro líquido.

A cair seguia também a Jerónimo Martins [jmar], com uma queda de 0,84% para os 11,75 euros, bem como a PT Multimédia [ptm] que escorregava 0,50% para os 7,94 euros. A Anacom aplicou uma multa de 50 mil euros à PT Comunicações por constatar que a operador pratica preços superiores aos estabelecidos na Deliberação do Conselho de Administração do ICP-Anacom em 15 números da gama 707, divulgou a autoridade em nota publicado no «site».

Em sentido contrário, seguia a Portugal Telecom [ptc] a subir 0,13% para os 7,72 euros bem como a Mota-Engil que ganhava 3,16% alcançando assim um novo máximo histórico para os 3,26 euros.

O Banco Espírito Santo [besnn] avançava 0,08% para os 13,21 euros enquanto a restante banca seguia inalterada. O Banco Comercial Português [bcp] cotava nos 2,24 euros enquanto o Banco BPI [bpin] valia 3,48 euros.

A Impresa subia  pela terceira sessão consecutiva e seguia hoje com ganhos de 0,55% para os 5,45 euros. A Lisbon Brokers reiterou, dia 2 de Setembro, a recomendação de «compra» para as acções da Impresa, atribuindo-lhes um preço-alvo de 5,90 euros, no seguimento da divulgação das audiências de televisão referentes a Agosto.

Esta casa de investimento não foi a única entidade a recomendar «compra» para as acções da Impresa, já que a Morgan Stanley iniciou a cobertura da Media Capital e da Impresa,  recomendando apenas a compra das acções da dona da SIC, por considerar que esta tem uma menor dependência das receitas vindas do negócio da televisão.

A Cofina [cofi], que apresenta resultados amanhã, acompanhava com uma subida de 0,66% para os 3,04 euros, enquanto a Media capital seguia estável nos 7,30 euros.

A Cimpor [cimp] também seguia sem variação nos 4,59 euros no dia em que as acções da sua accionista Lafarge registavam a maior queda de quase dois anos (7%) depois da maior cimenteira do mundo ter apresentado resultados abaixo das expectativas.

Ver comentários
Outras Notícias