Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Energia inverte tendência e arrasta bolsa para o vermelho

A praça de Lisboa já inverteu a tendência positiva com que iniciou a sessão e está a ser penalizada pelo desempenho dos títulos do sector energético.

Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 08 de Agosto de 2012 às 09:55
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Após três sessões consecutivas de ganhos, o PSI-20 recua 0,29% para os 4.821,71 pontos, com três cotadas no verde, 13 no vermelho e três inalteradas. No Velho Continente, a tónica é também negativa, com os índices a corrigirem de máximos de quatro meses, depois de algumas empresas terem apresentado resultados que ficaram abaixo do estimado pelos analistas.

A Galp Energia, que era a cotada que mais impulsionava a bolsa nacional no início da sessão, é agora a principal responsável pela tendência negativa. Numa altura em que os preços do petróleo seguem a negociar em queda nos mercados internacionais, a petrolífera recua 0,78% para os 11,41 euros.

Um comportamento que é acompanhado pelos demais títulos do sector energético. A Redes Energéticas Nacionais (REN) cai 0,80% para os 1,979 euros, enquanto a EDP cede 0,30% para os 1,983 euros. Mas, a queda mais expressiva é protagonizada pela EDP Renováveis, que deprecia 2,21% para os 2,572 euros.

No sector financeiro, a tendência é indefinida. O Banco Espírito Santo (BES) contribui para as perdas, ao ceder 1,74% para os 0,507 euros, bem como o Espírito Santo Financial Group (ESFG), que desce 0,39% para os 5,15 euros.

Já o Banco Comercial Português (BCP) segue inalterado nos 0,094 euros. A imprensa grega avançou que o banco estaria a planear a venda da sua unidade na Grécia e, como tal, a saída do mercado helénico, o que não será “tarefa simples” para o BCP, segundo o Caixa BI.

Já o BPI, que ontem anunciou que concluiu com sucesso o aumento de capital no valor de 200 milhões de euros, sobe 2,10% para os 0,535 euros.

Nas telecomunicações, todas as empresas partilham da tendência negativa. A Portugal Telecom (PT) cai 0,14% para os 3,514 euros, a Sonaecom deprecia 0,08% para os 1,194 euros e a Zon Multimédia desce 1,19% para os 2,084 euros.

Nota ainda para a Brisa, que recua 0,115 para os 2,75 euros. A oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelo grupo José de Mello e pelo fundo Arcus termina hoje. Antes do início da sessão, a espanhola Abertis anunciou que vai vender a totalidade da sua posição, cerca de 15%, na empresa.
Ver comentários
Saber mais bolsa nacional praça de Lisboa PSI-20 energia banca Brisa Abertis
Outras Notícias