Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Especulação de aumento de liquidez no Japão impulsiona Ásia

As acções asiáticas estão a negociar em alta e preparam-se para a encerrar uma terceira semana de ganhos consecutiva, com os investidores a especularem que o Banco do Japão vai aumentar a liquidez do sistema financeiro da segunda maior economia do mundo.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 12 de Março de 2010 às 07:34
  • Partilhar artigo
  • ...
As acções asiáticas estão a negociar em alta e preparam-se para a encerrar uma terceira semana de ganhos consecutiva, com os investidores a especularem que o Banco do Japão vai aumentar a liquidez do sistema financeiro da segunda maior economia do mundo.

O MSCI Ásia – Pacifico avança 0,3% para 123,25 pontos, com cinco títulos a subir por cada quatro que descem, e prepara-se para encerrar a semana com um ganho de 2,4%, nos últimos 5 cinco dias.

“Eu teria em elevada conta um aumento da liquidez pelo Banco do Japão, para evitar a apreciação do iene”, disse o estratega sénoir da MU Investments, Hiroshi Morikawa à Bloomberg. “A economia está a melhorar, por isso os investidores não estão pessimistas; nem optimistas porque uma recuperação dos ganhos das cotadas está praticamente incorporada.”

Os investidores estão a especular que o Banco do Japão vai aumentar as medidas de liquidez para suportar uma recuperação económica. O iene deprecia face ao dólar e outras divisas dos países para que mais exporta, o que aumenta o valor dos lucros que o Japão realiza com essas vendas. A Nissan, que obtém 77% das suas receitas no estrangeiro, valorizou 2,4% para 764 ienes.

O Nikkei valorizou 0,81% para 10.751,26 pontos e registou a maior valorização entre os principais índices asiáticos. Também em Tóquio, o Topix apreciou 0,64% para 936,38 pontos.

O Hang Seng de Hong Kong recua 0,3% e o Shangai Composite recua 0,9%, com os investidores a recearem que o governo do país tome medidas para controlar a inflação e reduzir o risco de bolhas especulativas em alguns activos, penalizando a recuperação da economia.

Ver comentários
Outras Notícias