Bolsa Estreantes do PSI-20 entram com o pé esquerdo

Estreantes do PSI-20 entram com o pé esquerdo

As cotadas que passaram a integrar o PSI-20 esta segunda-feira - fundo do Montepio, Corticeira Amorim e Sonae Capital - encerraram a sessão em queda. Já as que deixaram o índice - Teixeira Duarte e Impresa - dispararam.
Estreantes do PSI-20 entram com o pé esquerdo
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 21 de março de 2016 às 17:01

As três cotadas que se estrearam no PSI-20 esta segunda-feira, 21 de Março, entraram na "montra" da bolsa nacional com o pé esquerdo. Tanto a Corticeira Amorim como o fundo do Montepio e a Sonae Capital desvalorizaram na sua primeira sessão como membros do principal índice nacional, que voltou a contar com 18 cotadas.

O fundo do Montepio foi mesmo a cotada que liderou as perdas do PSI-20, com as unidades de participação do banco mutualista a afundarem no rescaldo dos prejuízos de 243 milhões de euros em 2015, apresentados no final da semana passada. O fundo do Montepio caiu 4,58% para 62,5 cêntimos, depois de ter chegado a afundar um máximo de 7,48% durante a sessão.

Esta segunda-feira, trocaram de mãos 404 mil unidades de participação, um valor muito superior à média diária dos últimos seis meses.

"A integração [no PSI-20] tem como vantagens conceder uma maior liquidez ao título", disse o presidente executivo do banco, Félix Morgado. "Tem também como faceta positiva uma maior atractividade em termos de investimento".

 

Também a Corticeira Amorim esteve entre os quatro piores desempenhos do PSI-20 neste arranque da semana, com uma desvalorização de 2,56% para 6,807 euros. Contudo, durante a sessão, as acções da empresa de cortiça chegaram a disparar 5,61%. Foram transaccionadas pouco mais de 136 mil acções da empresa, um valor inferior ao total da sessão anterior (271,3 mil), mas muito superior à liquidez média, de 31.220.

 

Já a Sonae Capital desceu 1,29% para 61,3 cêntimos, com 278 mil acções transaccionadas.

 

Por outro lado, as cotadas que deixaram o principal índice nacional encerraram a sessão desta segunda-feira com fortes valorizações. Depois de ter afundado mais de 25% na sessão de sexta-feira, a Teixeira Duarte disparou 15,45% para 25,4 cêntimos, enquanto a Impresa ganhou 2,51% para 36,8 cêntimos. 

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI