Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euronext Lisbon beneficia das recuperações do BCP e PT; PSI20 soma 0,3%

As acções da Euronext Lisbon negociavam em subida, com as recuperações do Banco Comercial Português e da Portugal Telecom a ajudarem o índice a contrariar a tendência de queda da véspera.

Negócios negocios@negocios.pt 07 de Janeiro de 2003 às 10:08
  • Partilhar artigo
  • ...
As acções da Euronext Lisbon negociavam em subida, com as recuperações do Banco Comercial Português (BCP) e da Portugal Telecom (PT) a ajudarem o índice a contrariar a tendência de queda da véspera.

O PSI20 [PSI20] marcava 5.591,91 pontos, com sete acções a subirem, oito em queda, e as restantes cinco inalteradas, numa altura em que as maiores praça na Europa negociavam mistas.

As acções do Banco Comercial Português (BCP) [BCP] que ontem sofreram uma desvalorização de 3,83%, recuperavam hoje 1,33% para 2,29 euros.

A Portugal Telecom (PT) [PTC] com investimentos no Brasil, beneficiava da subida de real, que na véspera saltou para o máximo em mais de três meses, aumentando 0,92% para 6,56 euros.

A PT Multimédia [PTM] que na véspera superou o patamar dos 11 euros pela primeira vez desde Julho de 2001, corrigia hoje em queda de 0,98% para 11,10 euros. A subida das últimas semanas, segundo operadores, prendeu-se com rumores de um aumento da posição do Banco Espírito Santo (BES) [BESNN] que actualmente controla 9,28% da empresa. Os títulos do BES caíam 0,4% para 12,30 euros.

A Electricidade de Portugal (EDP) [EDP] deslizava 0,6% para 1,65 euros, depois de ontem a Assembleia Geral de accionistas da ONI Way ter aprovado a descontinuidade da ONI Way e a venda dos seus activos, com os votos contra da Iberdrola e Telenor, que estudam agora alternativas para travar esta decisão, disseram os representantes dos dois accionistas.

A Vodafone Telecel [TLE] que poderá vir a proceder à compra do capital social da Oniway, cotava inalterada em 7,85 euros e a SonaeCom [SNC] subia 1,1% em 1,83 euros.

Fabricantes de automóveis e seguradoras em queda

As praças da Europa negociavam mistas, e o Dow Jones Stoxx 50 resvalava 0,28% a marcar 2.523,72 pontos, numa sessão em que o índice que reúne as 50 maiores empresas do Continente em capitalização bolsista chegou a valorizar um máximo de 0,56%.

A Bolsa de Madrid, era uma das excepções no panorama europeu. Depois do feriado de ontem, o IBEX 35 [IBEX] retomava a negociação em subida de 1,32% para 6.321,50 pontos. As empresas com maior exposição ao Brasil, a Telefónica, o Santander Central Hispano (SCH) e o Banco Bilbau Vizcaya Argentaria (BBVA) valorizavam 3,1%, 2,1% e 2,5%, respectivamente.

Em Frankfurt, o DAX [DAX] depreciava 0,69% nos 3.135,56 pontos. A Volkswagen, o maior fabricante de automóveis do Continente, caía 2,5% para 37,53 euros, depois de declarações dos responsáveis da empresa que garantiam que as vendas este ano na Europa e nos Estados Unidos (EUA) deveriam permanecer inalteradas. A DaimlerChrysler descia 2,2% e a BMW desvalorizava 1,6%.

O FTSE 100 [UKX] caía 0,6% para 3.977,40 pontos, e as seguradoras voltavam a impor o ritmo descendente, com a Prudential a decrescer 4% para 4,30 libras (6,61 euros) e a Aviva a descer 3,1% nas 4,47 libras (6,87 euros).

Na praça de Amesterdão, a Royal Dutch Petroleum progredia 0,11% para 44,04 euros, e a retalhista Royal Ahold subia 0,99% a marcar 13,23 euros, após ter anunciado um crescimento das vendas relativas ao quarto trimestre de 0,3%. O AEX aumentava 0,11% para 336,60 pontos, com a queda de 0,67% do grupo financeiro ING Groep a travar ganhos mais expressivos.

Na praça de Paris, o CAC 40 [CAC] progredia 0,39% nos 3.222,83 pontos, impulsionado pelas acções da operadora de telecomunicações France Telecom e da consultora tecnológica Cap Gemini que aumentavam 0,9% para 19,87 euros e 3,5% para 25,93 euros, respectivamente.

Por Pedro Carvalho

Outras Notícias