Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euronext Lisbon recua pressionada por EDP e BCP (act.)

A Euronext Lisbon encerrou a sessão de hoje a cair, pressionada pelas desvalorizações do BCP e EDP. O dia ficou marcado pelos rumores de uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a Portucel, que levaram as acções da papeleira a serem suspensas durante g

Ruben Bicho rbicho@mediafin.pt 05 de Julho de 2004 às 16:56
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Euronext Lisbon encerrou a sessão de hoje a cair, pressionada pelas desvalorizações do BCP e EDP. O dia ficou marcado pelos rumores de uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a Portucel, que levaram as acções da papeleira a serem suspensas durante grande parte da sessão. Quando regressaram à negociação, os títulos dispararam mais de 4%.

O PSI-20 [PSI20] perdeu 0,85% para os 7.241,81 pontos, com 12 empresas em queda, cinco a subir e três inalteradas. Na Europa, as praças de Madrid, Londres e Paris fecharam a ganhar, enquanto o alemão DAX e o AEX, de Amesterdão, recuaram.

As acções da Semapa [SEMA] e da Portucel [PTCL] estiveram suspensas desde a pré-abertura, com a CMVM à espera da divulgação de um facto relevante. A meio da sessão, a Semapa informou ao mercado que no entender da CMVM, ela possui 55% dos direitos de voto da Semapa, derivantes dos 30% comprados na última fase de privatização da Portucel, bem como dos 25% ainda na posse da Sonae Wood Products.

A Sonae e o consórcio de bancos CGD e BES detêm opções de venda e compra, respectivamente, sobre a tranche de 25%. As duas instituições bancárias, por seu lado, estão na posse de uma opção de venda dessa mesma tranche à Semapa que, em caso de compra, ultrapassará o limiar dos 50% que exigem, segundo o Código de Valores Mobiliários, lançar uma OPA sobre o restante capital disperso.

Quanto regressaram à negociação, após um período de consolidação de ofertas, os títulos da Semapa mantiveram-se inalterados nos 3,83 euros, ao passo que a Portucel disparou, ganhando mais de 4% para cotar acima dos 1,50 euros. No final da sessão a papeleira subia 2,74% para 1,50 euros. A Sonae SGPS [SON] caiu 1,14% para os 0,87 euros.

A Electricidade de Portugal (EDP) [EDP], foi um dos títulos que mais pressionaram o índice, com as acções a cederem 1,73% para 2,27 euros. A eléctrica escolheu diversos bancos para criar uma linha de crédito de 1,3 mil milhões de euros. A PT, através da sua participada brasileira Dedic, já assegurou o serviço de atendimento das três distribuidoras de energia que o Grupo EDP detém no Brasil.

A operadora de telecomunicações [PT] fechou a perder 0,81% para os 8,56 euros, enquanto a subsidiária PT Multimédia [PTM] terminou a sessão a desvalorizar 0,63% para 17,39 euros.

O Banco Comercial Português (BCP) [BCP] caiu 1,07% para 1,85 euros. Os bancos portugueses vão começar a receber, durante o mês de Julho, a dívida de Angola, segundo a edição de hoje do «Diário de Notícias». O BCP deverá receber 64,7 milhões de euros nesta operação.

A maior parcela irá para o Banco BPI [BPIN], que terá a receber 70,5 milhões de euros. As acções do banco encerraram inalteradas nos 2,99 euros. O Banco Espírito Santo (BES) [BESNN] que recebe 25,5 milhões de euros, também fechou inalterado nos 13,60 euros.

A Novabase [NBA], que saiu do PSI-20 no passado dia 1 de Julho, caiu hoje 5,29%, para 5,19 euros.

Ver comentários
Outras Notícias