Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euronext Lisbon volta a contrariar ganhos das bolsas Europa (act)

A Euronext Lisbon voltou a fechar em queda, contrariando a tendência de ganhos da Europa, com os títulos da Brisa e da Portugal Telecom a pressionarem o índice, onde se destacou a desvalorização de 3,45% da Jerónimo Martins. O PSI-20 perdeu 0,25%.

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 24 de Junho de 2004 às 17:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Euronext Lisbon voltou a fechar em queda, contrariando a tendência de ganhos da Europa, com os títulos da Brisa e da Portugal Telecom a pressionarem o índice, onde se destacou a desvalorização de 3,45% da Jerónimo Martins. O PSI-20 perdeu 0,25%.

Na segunda sessão consecutiva de descidas o PSI-20 [PSI20] terminou a sessão nos 7.310,73 pontos, com quatro empresas a subir, 12 em queda e as restantes quatro inalteradas. Na Europa o dia foi de ganhos, com as empresas tecnológicas a impulsionarem os índices para ganhos em redor de 1%.

Pela terceira sessão consecutiva o PSI-20 fechou em sentido contrário ao do resto da Europa. Depois de na segunda-feira ter subido – ignorando as quedas das congéneres – a Euronext Lisbon nas duas últimas sessões desvalorizou, apesar dos ganhos das outras praças.

Em dia de São João – feriado no Porto e outras cidades portuguesas – e o tão aguardado jogo dos quartos de final do Euro 2004, com a presença da Selecção Portuguesa, a sessão na bolsa foi monótona e mais uma vez com pouco interesse.

A liquidez dos 20 títulos do principal índice voltou a ser acima dos 100 milhões de euros, mas quase metade do volume negociado foi da responsabilidade da Electricidade de Portugal, que transaccionou um total de 17,5 milhões de acções.

A eléctrica portuguesa não conseguiu prolongar uma série de sete sessões sem perder valor e fechou em queda de 0,44%, para os 2,28 euros. A Portugal Telecom [ptc] também não conseguiu aguentar os ganhos acima de 1% que registou no início da sessão e fechou com uma desvalorização de 0,35%.

A operadora de telecomunicações acumula uma série de três sessões consecutivas em queda e nas últimas seis, apenas por uma vez fechou com ganhos. Mas foi a Brisa [brisa] quem mais pressionou o índice, ao apresentar uma descida de 1,2% para os 5,76 euros, o valor mais baixo da sessão.

Já a maior queda entre os títulos do PSI-20 pertenceu à Jerónimo Martins [jmar], com a segunda maior distribuidora nacional a corrigir parte da subida da sessão anterior. A empresa admitiu ontem a possibilidade de vir a distribuir metade dos resultados líquidos do actual exercício em dividendos e acredita que a holandesa Ahold não vai vender a posição de 49% na JM Retalho.

Ainda a ajudar à queda do índice estiveram os títulos do Banco BPI (0,33%), ParaRede (2,63%) e Sonae SGPS. Segundo o jornal brasileiro «Valor Económico», o preço elevado que o grupo Sonae quer pela operação de retalho no Brasil está a dificultar a sua venda.

O Banco Comercial Português [bcp], na véspera do «Investor Day», conseguiu destoar do sentimento negativo da bolsa nacional, com uma valorização de 0,53% para os 1,91 euros.

No sector dos «media», a Impresa [IPR] que ontem ficou mais cara em 4,44%, fechou hoje inalterada nos 4 euros, enquanto a Media Capital desceu 0,69% a marcar 4,29 euros. O dia no sector fica marcado pela estreia da Telecinco na bolsa espanhola, com uma valorização superior a 20%.

Mais lidas
Outras Notícias