Bolsa Fed concentra atenções e tecnológicas evitam quedas em Wall Street

Fed concentra atenções e tecnológicas evitam quedas em Wall Street

As bolsas dos EUA fecharam com oscilações ligeiras, numa altura em que os investidores se focaram na reunião da Fed, à espera de sinais sobre o futuro da política monetária no país. A contribuir para os ganhos esteve o sector tecnológico.
Fed concentra atenções e tecnológicas evitam quedas em Wall Street
EPA
Sara Antunes 12 de junho de 2018 às 21:17

O S&P500 avançou 0,2% para 2.786,85 pontos. Já o tecnológico Nasdaq fechou com uma tendência definida ao subir 0,57% para 7.703,79 pontos, num dia em que as acções da Apple e do Twitter subiram cerca de 0,5%. Já o Dow Jones não escapou às descidas e recuou 0,01% para 25.320,73 pontos.

Os investidores estão focados na Reserva Federal (Fed). A reunião do banco central americano termina amanhã e está a ser dado como certo que será anunciado um aumento de juros para os EUA. Será o segundo este ano e deverá ser de 25 pontos base. Actualmente a taxa directora está fixada num intervalo entre 1,5% e 1,75%.

 

O interesse dos investidores não é tanto pelo que será anunciado amanhã, mas sobretudo pelas pistas que poderão ser deixadas sobre o futuro da política monetária nos EUA. "Há um pouco de hesitação sobre a reunião da Fed. As pessoas estão na dúvida sobre o que a Fed pode dizer", afirmou à Reuters Robert Pavlik, estratega-chefe na SlateStone. "Acho que não vão dizer nada especificamente relacionado com a subida de juros em Dezembro. Se disserem um pouco mais sobre a inflação, dará motivos de preocupação para o mercado", acrescentou o responsável.

 

A reunião histórica entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jon-Un, acabou por não ter um impacto significativo nos mercados bolsistas. Precisamente porque os investidores voltaram a sua atenção para a reunião da Fed.

 

"Os principais assuntos são a Fed, o BCE e o Banco do Japão, não propriamente tweets sobre questões de comércio – e é por isso que todos esperamos", salientou à Bloomberg Derek Green da Titus Wealth Management. "Talvez seja a bonança antes da tempestade. O volume vai aumentar de certeza a partir de amanhã. Temos três conferências de imprensa em três dias", sublinhou, referindo-se aos bancos centrais.

 

Em destaque estiveram as acções da Tesla, que subiram mais de 3% para 342,77 dólares, depois da fabricante de automóveis ter anunciado um corte de 9% da sua força laboral.

 

Já as acções do sector da defesa, como a Raytheon, a Lockheed Martin e a Northrop Grumman caíram mais de 1%.

 

Destaque ainda para a AT&T, não pela variação das acções, que foi reduzida, mas pela expectativa em torno da decisão do tribunal sobre a compra da Time Warner. Após o fecho do mercado o tribunal vai revelar qual a sua decisão sobre esta operação.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
INAPA Há 6 dias

2018 INAPA, desce 40%, ALTRI sobe 800%, já esteve a 1€, NAVIGATOR sobe 150%, já esteve a 2€, INAPA será a próxima a subir, está a dar dinheiro e na moda o sector do papel: http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/inapa-volta-a-ser-a-empresa-portuguesa-mais-internacional

OPA ao BCP segue dentro de momentos Há 6 dias

ela vem AI

pub