Bolsa Fortes perdas da Galp e Navigator ditam queda do PSI-20

Fortes perdas da Galp e Navigator ditam queda do PSI-20

A bolsa nacional encerrou em queda pela primeira vez em quatro sessões, com a Galp a deslizar mais de 2,5% e a Navigator a cair mais de 4%.
Fortes perdas da Galp e Navigator ditam queda do PSI-20
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 01 de novembro de 2018 às 16:48

A bolsa nacional encerrou em queda esta quinta-feira, 1 de Novembro, pela primeira vez em quatro sessões, com o Psi-20 a desvalorizar 0,32% para 5.014,63 pontos. Nove cotadas caíram, oito subiram e uma fechou o dia inalterada.

Na Europa, os principais índices dividem-se entre ganhos e perdas, numa altura em que o único sector que está em queda é o do petróleo e gás, com uma desvalorização de quase 3%, que reflecte a forte descida dos preços do petróleo nos mercados internacionais. Tanto o Brent como o WTI estão a cair mais de 2,5% devido à subida das reservas nos Estados Unidos e os receios em torno do crescimento mundial.

Apesar disso, o índice de referência para a Europa, o Stoxx600, segue em alta pela quarta sessão consecutiva, com uma subida de 0,27% para 362,57 pontos. Este índice, que reúne as 600 maiores cotadas da Europa, prossegue assim a recuperação, depois de ter vivido, em Outubro, o seu pior mês desde Janeiro de 2016.

Em Lisboa, a Galp Energia acompanhou o sector e, juntamente, com a Navigator, determinou a descida do PSI-20. A petrolífera portuguesa caiu 2,66% para 14,985 euros, enquanto a Navigator deslizou 4,32% para 4,21 euros, liderando as descidas no sector.

A Altri, que revelou ontem um aumento de 77% dos lucros até Setembro para 120,4 milhões de euros, caiu 1,16% para 7,66 euros. Já a Semapa, que viu os seus lucros crescerem 24,9% para 97,5 milhões de euros, desceu 2,25% para16,50 euros.

A contribuir para a descida do PSI-20 esteve também a Pharol, com uma desvalorização de 1,55% para 15,28 cêntimos.

Pelo contrário, a evitar maiores descidas estiveram o BCP e a Jerónimo Martins. O banco liderado por Miguel Maya valorizou 0,71% para 23,99 cêntimos, elevando para mais de 10% os ganhos acumulados esta semana, período em que as acções foram beneficiadas pelas estimativas optimistas do BPI para os resultados trimestrais.

Numa nota de análise revelada na terça-feira, os analistas do BPI estimaram que o BCP terá fechado o trimestre com lucros de 93 milhões de euros, mais do dobro do obtido no mesmo período do ano passado (43 milhões).

Já a Jerónimo Martins ganhou 1,24% para 10,995 euros, no dia em que várias casas de investimento fizeram alterações nas suas avaliações para a cotada.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI