Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Fortes ganhos do BCP e Sonae impulsionam bolsa nacional

Os títulos do Banco Comercial Português voltavam hoje a registar fortes ganhos e a impulsionar o principal índice nacional. O PSI-20 ganhava 0,57% e contrariava as descidas das principais praças europeias, numa sessão em que a Sonae SGPS sobe mais de 3%.

Paulo Moutinho 25 de Maio de 2006 às 09:53
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os títulos do Banco Comercial Português voltavam hoje a registar fortes ganhos e a impulsionar o principal índice nacional. O PSI-20 ganhava 0,57% e contrariava as descidas das principais praças europeias, numa sessão em que a Sonae SGPS sobe mais de 3%.

O índice principal [psi20] avançava para os 9.446,02 pontos, com 15 dos vinte títulos cotados a valorizar, três sem variação e apenas dois em queda. Nas restantes praças europeias a sessão era de perdas ligeiras, com as companhias petrolíferas a pressionarem os índices, reagindo ao alívio das cotações do petróleo no final da sessão de ontem.

Na Euronext Lisbon, o Banco Comercial Português (BCP) voltava a registar fortes ganhos. As acções do BCP [bcp], que ontem subiram mais de 4%, seguiam a valorizar 1,31% para os 2,32 euros, tendo estado a subir mais de 3% durante a sessão de hoje.

Os títulos do banco liderado por Paulo Teixeira Pinto estão ainda a reagir às afirmações do presidente da Autoridade da Concorrência, Abel Mateus, que afirmou que o nível de concentração na banca portuguesa é superior à média europeia, indiciando que a entidade poderá vir a colocar entraves à OPA do BCP sobre o BPI.

Esta possibilidade está a atrair os investidores, que acreditam que com um hipotético chumbo da AdC, o BCP não avançará para a aquisição do banco liderado por Fernando Ulrich e como tal não necessitará de efectuar um aumento de capital.

Para além disso a subida dos títulos segue-se às fortes quedas das acções do banco nas últimas semanas, que tornou o papel mais barato, em mínimos do ano, o que poderá vir a atrair a atenção de outros bancos.

O alvo da OPA do BCP, o Banco BPI [bpin] avançava 0,18% para os 5,71 euros, um cêntimo acima do valor da contrapartida da OPA, enquanto o BES [bes] seguia sem variação nos 11,04 euros, no dia em que o Banco Sabadell anunciou que chegou a acordo com o grupo belga KBC para a aquisição de 99,74% do capital do Banco Urquijo por 760 milhões de euros, um banco espanhol que também era disputado pelo Banco Espírito Santo (BES).

Também com uma forte subida estavam os títulos da Sonae SGPS [son] e da Sonaecom [snc]. A «holding» de Belmiro de Azevedo disparava 3,25% para os 1,27 euros e a empresa liderada por Paulo Azevedo ganhava 1,99% para os 4,10 euros, corrigindo também de perdas recentes.

Em comunicado enviado à CMVM, a Sonaecom anunciou que tem vindo a comprar acções da Portugal Telecom em bolsa nos últimos dias, tendo já uma posição superior a 1% no capital da empresa, o que implica um investimento de 105,9 milhões de euros.

A empresa de Paulo de Azevedo aproveitou o facto de as acções da PT terem estado a negociar abaixo do preço da OPA (9,50 euros) para comprar acções sobre quem lançou uma OPA a 6 de Fevereiro.

A Portugal Telecom [ptc] está hoje a valorizar. As acções da operadora de telecomunicações ganhavam 0,11% para os 9,27 euros, depois de quatro sessões consecutivas em queda, um valor ainda assim distante dos 9,50 euros oferecidos pela Sonaecom.

A Energias de Portugal [edp] apreciava 0,35% para os 2,87 euros. A eléctrica nacional vai anunciar hoje os seus resultados referentes ao primeiro trimestre deste ano. Segundo os analistas, a empresa liderada por António Mexia deverá reportar um crescimento dos lucros de 17,8%.

A Reditus descia 2,43% para 3,21 euros e a Sonae Indústria avançava 1,63% para 6,25 euros, depois do Jornal de Negócios ter noticiado que, tendo em conta os dados actuais, a tecnológica deverá sair do PSI-20 e a Sonae Indústria entrar. A Media Capital também sairá do índice, por troca com o ESFG.

Ver comentários
Outras Notícias