Bolsa Galp cai quase 3% e pressiona bolsa nacional

Galp cai quase 3% e pressiona bolsa nacional

A bolsa nacional recuou, à semelhança das congéneres europeias, num dia marcado por renovados receios sobre a guerra comercial. A Galp Energia e o setor do papel foram os que mais pesaram, com a Navigator a atingir novos mínimos de dois anos.
Galp cai quase 3% e pressiona bolsa nacional
Reuters
Sara Antunes 23 de maio de 2019 às 16:45

A bolsa nacional fechou mais uma sessão em queda, acompanhando a tendência que impera no resto da Europa. A marcar o dia continuam as questões geopolíticas, com a guerra comercial entre os EUA e a China a deixar os investidores pessimistas. 

Este contexto, conjugado com um aumento inesperado das reservas de petróleo dos EUA está a ditar uma queda pronunciada do "ouro negro", o que está a afetar o setor petrolífero. O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a descer 4,73% para 67,63 dólares.

O principal índice da bolsa nacional fechou assim com uma queda de 0,98% para 5.057,92 pontos, pressionado por 17 ações. Apenas uma cotada conseguiu contrariar a tendência: a REN, ao subir 0,21% para 2,43 euros. 

A Galp esteve entre as cotadas que mais pressionou, ao perder 2,92% para 13,965 euros, acompanhando a tendência do sector, pressionado pela descida abrupta do preço do petróleo.

Destaque também para a Navigator, cujas ações deslizaram 1,59% para 3,35 euros, atingindo um novo mínimo de janeiro de 2017. Mas a ex-Portucel não foi um caso isolado neste desempenho. A Altri perdeu 2,7% para 6,13 euros e a Semapa recuou 1,99% para 12,80 euros.

As quedas foram generalizadas. O BCP recuou 0,12% para 0,2506 euros, a EDP perdeu 0,18% para 3,263 euros e a EDP Renováveis depreciou 0,34% para 8,77 euros. 

No retalho, a Sonae SGPS caiu 1,17% para 0,886 euros enquanto a Jerónimo Martins cedeu 0,63% para 13,415 euros. 

A grande queda da sessão foi protagonizada pela Sonae Capital, com as ações a afundarem 8,32% para 8,015 euros, um desempenho justificado pelo desconto do dividendo que se concretizou esta sessão. A empresa vai distribuir um dividendo de 7,4 cêntimos por ação aos seus acionistas. Se não tivesse feito este ajuste técnico, as ações teriam fechado inalteradas face à última sessão.

(Notícia atualizada às 16:52 com mais informação)




Marketing Automation certified by E-GOI