Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Galp e BCP dão segundo dia de perdas ao PSI-20

A banca nacional acompanhou a queda do sector financeiro europeu e penalizou Lisboa. O PSI-20 também sofreu com a saída da Eni da Galp, que causou um recuo de 5% à petrolífera. A EDP e os CTT impediram uma maior queda.

A carregar o vídeo ...
Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 20 de Novembro de 2015 às 16:42
  • Assine já 1€/1 mês
  • 26
  • ...

Segundo dia de perdas para o PSI-20. O índice de referência da praça portuguesa foi penalizado pelo desempenho negativo da Galp Energia mas também da banca, com o BCP em destaque.

 

O PSI-20 recuou 0,81% para 5.308,10 pontos. Foi o segundo dia seguido de recuos, o que não impediu que a semana tivesse sido positiva para o índice. Na Europa, o Stoxx Europe 600 até subiu 0,2%. Contudo, Lisboa seguiu as perdas que se verificaram nas bolsas da Europa Ocidental. Esta sexta-feira, o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, repetiu que fará o que for necessário para que a inflação se aproxime da meta de 2% o mais rapidamente possível.

 

As acções da petrolífera nacional cederam 5,09% para valerem 9,553 euros. Um comportamento negativo (o quarto dia consecutivo de perdas) que foi desencadeado pela saída da italiana Eni do capital da Galp. A venda foi feita a 9,81 euros por acção, um preço que os analistas consideram interessante e que retira incertezas sobre esta participação, motivos pelo qual classificam o facto como "positivo".

 

Na energia, a EDP Renováveis, celebrou esta sexta-feira um contrato de fornecimento de energia a uma empresa da Amazon, nos Estados Unidos, perdeu uns ligeiros 0,17% para 6,371 euros. A REN fechou nos 2,619 euros ao perder 0,11%.

 

Por contrário, a EDP conseguiu ganhar 1,22% para 3,33 euros e foi a empresa que mais evitou que a desvalorização do PSI-20 fosse mais intensa.

 

BCP cai pelo segundo dia

 

A banca portuguesa caiu, tal como ocorreu na Europa. O BCP esteve em destaque, caindo pelo segundo dia. As acções do banco liderado por Nuno Amado cederam 3,75% para 4,87 cêntimos. Já o BPI perdeu 1,21% para 1,061 euros. O Banif, por sua vez, perdeu 4% para 0,24 cêntimos.

 

Os CTT, que recuaram fortemente na sessão anterior depois de anunciarem o plano de expansão do seu banco, conseguiram hoje avançar 1,16%, um movimento que levou os títulos aos 8,65 euros.

 

A Nos também esteve no lado dos ganhos, com uma valorização de 0,85% para 7,448 euros. Já a Pharol, accionista da brasileira Oi, cedeu 1,34% para 0,369 euros.

 

Pela negativa destacaram-se, ainda, a Altri, que perdeu 2,42% para 5,113 euros (afastando-se do máximo histórico tocado dois dias antes), ao passo que a Mota-Engil voltou a perder, ao marcar uma descida de 3,60% para 2,06 euros.

 

Sonae perde, Jerónimo sobe

No retalho, a Sonae perdeu 0,27% para 1,098 euros depois de mais uma expansão em Espanha: já tinha aderido à central de compras IFA, agora comprou a Losan, de vestuário infantil.


Por sua vez, a concorrente Jerónimo Martins subiu 0,43% para 12,995 euros, recuperando da queda de ontem motivada por receios de uma taxa progressiva sobre os supermercados na Polónia. 

 

(Notícia actualizada com mais informações às 16h48)

 

 

Ver comentários
Saber mais Bolsa de Lisboa Euronext
Outras Notícias