Bolsa Galp e EDP mantêm PSI-20 em terreno negativo

Galp e EDP mantêm PSI-20 em terreno negativo

A bolsa nacional acompanha o pessimismo das bolsas europeias, que seguem pressionadas pela banca e pelas empresas ligadas à aviação e ao turismo, após as explosões em Bruxelas.
Galp e EDP mantêm PSI-20 em terreno negativo
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 22 de março de 2016 às 12:39

A bolsa nacional está a negociar em queda esta terça-feira, 22 de Março, após quatro sessões consecutivas de ganhos. O PSI-20 desvaloriza 0,74% para 5.151,42 pontos, com 11 cotadas em queda, seis em alta e uma inalterada.

 

Lisboa acompanha o pessimismo das principais praças europeias, que negoceiam em terreno negativo pressionadas pela banca e pelas empresas do sector do turismo e da aviação.

 

A Air France desce 4,71% para 8,031 euros, a IAG cai 3,49% para 538,50 pence e a Accor SA desvaloriza 3,77% para 37,515 euros.

 

Esta evolução acontece depois de duas explosões no aeroporto de Bruxelas e uma na estação de metro de Maelbeek esta manhã terem provocado dezenas de mortos e feridos e obrigado ao encerramento de toda a rede de transportes e das instituições do país.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desliza 0,67% para 338,53 pontos. A liderar as perdas na Europa está o índice holandês, que desce 0,92%, seguido pelo francês CAC40, com uma queda de 0,87%. Só a bolsa de Atenas negoceia em alta, com uma subida de 0,63%.

 

Na bolsa nacional, a EDP e a Galp Energia são as cotadas que mais pressionam o PSI-20. A eléctrica liderada por António Mexia cai 0,93% para 3,091 euros enquanto a petrolífera portuguesa recua 1,56% para 11,075 euros. Ainda na energia, a EDP Renováveis ganha 0,03% para 6,74 euros e a REN sobe 0,25% para 2,825 euros.

 

No sector financeiro, o fundo do Montepio afunda 5,76% para 58,9 cêntimos e o BCP perde 1,13% para 4,39 cêntimos, no dia em que o Negócios avança que a empresária angolana Isabel dos Santos poderá entrar no banco numa operação de aumento de capital para reembolsar a ajuda estatal. Uma opção que, a confirmar-se, será "negativa" para o banco liderado por Nuno Amado, na opinião dos analistas do Haitong.

 

Já os títulos do BPI continuam sem negociar depois de terem sido suspensos pela CMVM que aguarda divulgação de informação relevante por parte do banco.

 

No retalho, a Sonae perde 0,29% para 1,035 euros e a Jerónimo Martins, que saiu da lista de preferidas do BPI, sobe 0,04% para 14,09 euros.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI