Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

IBEX com o maior ciclo de quedas semanais em mais de 4 anos

O final da semana até se revelou positivo para o principal índice bolsista espanhol, mas foi insuficiente para anular as perdas provocadas pelos receios em torno da necessidade do país pedir apoio financeiro, pela nacionalização da YPF e pelas quedas abruptas da ACS e da Iberdrola.

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 20 de Abril de 2012 às 17:44
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
O IBEX terminou esta sexta-feira a subir 1,92% para 7.040,60 pontos, atenuando para 2,90% a queda semanal. Contudo, esta semana representa a quinta semana de perdas consecutivas para o principal índice espanhol, o que corresponde ao maior ciclo de quedas semanais desde o final de Dezembro de 2007 e Janeiro de 2008.

As quedas acentuadas do índice colocaram o IBEX em níveis de Março de 2009, ao recuar para um nível abaixo dos 7.000 pontos.

A semana revelou-se difícil para o mercado espanhol. Primeiro porque os rumores em torno da necessidade de Espanha receber apoio financeiro internacional intensificaram-se e levaram as taxas de juro a subir para níveis considerados elevados – a “yield” das obrigações a dois anos superou os 6%.

Este comportamento foi verificado com alguma intensidade até terça-feira, dia em que Espanha conseguiu colocar no mercado dívida a 12 e 18 meses. E ainda que tenha pago juros mais elevados do que em emissões semelhantes, acabou por colocar no mercado mais dinheiro do que o estimado inicialmente.

Depois desta emissão, regressou alguma acalmia ao mercado de dívida secundário.

Argentina “atira” Repsol para mínimos de Maio de 2009

Mas na bolsa a tendência de fortes quedas manteve-se. E manteve-se essencialmente devido às perdas verificadas na Repsol, na Sacyr, na ACS e na Iberdrola.

A Repsol perdeu esta semana 14,60% para 14,92 euros, sendo esta a pior semana para a petrolífera espanhola desde o finald e Outubro de 2008. As acções atingiram mesmo o valor mais baixo desde Maio de 2009, quando tocaram nos 14,13 euros.

E a Sacyr, que detém 10% da Repsol YPF, desvalorizou mais de 20%, o que corresponde à maior queda semanal desde o início de Maio de 2010. A empresa tocou também no valor mais baixo desde Outubro de 1992, ao negociar nos 1,58 euros.

Estas quedas foram justificadas pelo anúncio de nacionalização de 51% do capital da YPF. Uma nacionalização que vai ser feita através da expropriação da Repsol, que detém cerca de 57% do capital da petrolífera Argentina.

ACS caiu mais de 11% após ser “obrigada” a vender parte da Iberdrola

Uma das histórias que marcou a semana em Espanha foi a notícia de que a ACS vendeu uma participação da Iberdrola. A notícia não foi por ter vendido, mas porque se viu obrigada pela banca a vender. E fê-lo a um preço mais baixo do que o valor das acções no mercado e do que o valor que tinha contabilizado. Factores que provocaram perdas acentuadas nas duas cotadas.

A Iberdrola depreciou-se em 5,25% na semana para 3,591 euros e a ACS recuou 11,71% para 15,01 euros. A ACS vendeu uma participação de 3,692% que detinha na Iberdrola por 3,62 euros por cada acção. Este preço é 7,20% mais baixo do que o valor de fecho das acções da eléctrica na sessão anterior ao anúncio.

Esta operação surge depois dos bancos terem obrigado a ACS a reduzir a sua posição no capital da Iberdrola. Caso contrário teria de apresentar mais garantias, de acordo com o “El Economista”. Com isso, a construtora terá de assumir uma perda superior a 500 milhões de euros.
Ver comentários
Saber mais IBEX Repsol YPF Argentina ACS Iberdrola
Outras Notícias