Bolsa ICE e CME estudam ofertas pela London Stock Exchange

ICE e CME estudam ofertas pela London Stock Exchange

Após o lançamento de uma proposta de fusão pela Deutsche Börse à congénere britânica, agora é a vez das empresas norte-americanas. Tanto a ICE como o CME Group estão a estudar ofertas concorrentes, não havendo certezas de quem poderá avançar.
ICE e CME estudam ofertas pela London Stock Exchange
Bloomberg
André Tanque Jesus 01 de março de 2016 às 09:09

A Intercontinental Exchange (ICE) e a CME Group estão a estudar a possível aquisição da gestora do mercado bolsista londrino, a London Stock Exchange (LSE). A informação foi avançada pela Bloomberg esta terça-feira, 1 de Março, citando fontes próximas dos processos, tendo a primeira empresa já confirmado a notícia. A acontecer, as ofertas tentam pôr fim ao processo de fusão que está actualmente a ser negociado entre a LSE e a Deutsche Böerse.

A 26 de Fevereiro, o Financial Times noticiou que a Deutsche Börse tinha apresentando uma proposta de fusão à LSE. Assim, explicava o jornal britânico, a gestora da bolsa de Frankfurt pretendia tirar partido da incerteza que rodeia o "Brexit" e antecipava-se a possíveis ofertas das concorrentes norte-americanas.

Agora, a agência Bloomberg avança que, apesar de a fusão estar a ser negociada, tanto a ICE como o CME Group estão a estudar o lançamento de uma oferta concorrente. Segundo as fontes citadas pela agência noticiosa, o grupo baseado em Chicago está ainda numa fase inicial da análise e poderá mesmo não avançar com qualquer oferta.

Por outro lado, a detentora da New York Stock Exchange (NYSE) já confirmou o processo. A ICE informou que está a estudar o lançamento oferta concorrente, segundo declarações citadas pela Bloomberg, tendo esclarecido, contudo, que ainda não foi feito qualquer contactado, nem tão pouco há certezas de que venha mesmo a entrar na corrida pela LSE.

Se a ICE ou o CME Group avançarem obrigam a Deutsche Börse a melhorar a proposta de fusão que lançou à London Stock Exchange. As informações reveladas na semana passada pelo Financial Times apontam para uma união de iguais, através da criação de uma "holding" que deteria, então, a participação em ambas as empresas. A concretizar-se a fusão, será criada uma das três maiores empresas de gestão de mercados financeiros do mundo, juntando-se, assim, às duas concorrentes norte-americanas.

A beneficiar do interesse pela gestora da bolsa de londres estão as acções. A LSE está a disparar 8,22% na sessão desta terça-feira, para negociar em 28,98 libras. E já chegou mesmo a tocar num máximo de 29,14 libras, o valor mais elevado de sempre da cotada britânica. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI