Bolsa Jerónimo Martins e EDP Renováveis sobem mais de 2,5% e ajudam subida da bolsa

Jerónimo Martins e EDP Renováveis sobem mais de 2,5% e ajudam subida da bolsa

A bolsa nacional regressou aos ganhos, tendo acompanhado o otimismo que imperou no resto da Europa. A Nos voltou a destacar-se ao renovar um máximo de 2016. Jerónimo Martins e EDP Renováveis sobem mais de 2,5%.
A carregar o vídeo ...
Sara Antunes 10 de abril de 2019 às 16:43
A bolsa nacional terminou a sessão a subir, acompanhando a tendência das congéneres europeias, numa sessão em que os investidores se focaram nas políticas monetárias. O Banco Central Europeu (BCE) não anunciou qualquer medida ou novidade na reunião de governadores que terminou esta quarta-feira, mas reiterou o seu compromisso em apoiar a economia e o setor financeiro. 

A contribuir para a subida dos índices estiveram também os resultados já publicados por algumas cotadas americanas, como o caso da Levi's e da Delta Air Lines, cujos números ficaram acima do esperado. O que está a reduzir os receios sobre os resultados do primeiro trimestre do ano. 

Na bolsa nacional, o PSI-20 apreciou 0,94% para 5.325,09 pontos, com 14 cotadas em lata, duas em queda e duas inalteradas. Um dos destaques foi a Nos, que voltou a tocar num novo máximo de outubro de 2016, ao negociar nos 6,025 euros. No final da sessão, a empresa de telecomunicações liderada por Rodrigo Costa fechou a subir 0,93% para 5,99 euros.

Destaque também para a Jerónimo Martins, que subiu 2,79% para 13,83 euros, negociando em máximos de junho de 2018. A retalhista tem sido alvo de várias notas de análise. Só nestes primeiros dias de abril, já houve 12 casas de investimento a pronunciar-se sobre a dona do Pingo Doce, segundo os dados da Bloomberg. Tendo em consideração o preço-alvo médio de 21 analistas (14,07 euros), as ações da Jerónimo Martins têm uma margem de subida de cerca de 1,7%.

A contribuir para a subida da bolsa esteve também a EDP Renováveis, ao subir 2,83% para 8,73 euros. A Galp Energia também avançou 1,63% para 14,61 euros, numa dia em que os preços do petróleo estão a subir no mercado internacional. O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a subir mais de 1% para 71,42 dólares, o que corresponde a um máximo de novembro. A contribuir para esta valorização da matéria-prima estão as reservas de petróleo e derivados dos EUA.

Do lado oposto, e a travar a subida do principal índice nacional, esteve o BCP, que cedeu 0,51% para 0,2362 euros, e a EDP, que recuou 0,09% para 3,47 euros.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI