Bolsa JM e BCP em queda há quatro sessões pressionam PSI-20

JM e BCP em queda há quatro sessões pressionam PSI-20

O PSI-20 fechou em queda pela quarta sessão consecutiva, penalizado pela queda das acções da Jerónimo Martins e Banco Comercial Português.
JM e BCP em queda há quatro sessões pressionam PSI-20
Bloomberg
Nuno Carregueiro 22 de julho de 2019 às 16:45

A bolsa nacional fechou em terreno negativo pela quarta sessão seguida, com o PSI-20 a ser penalizado sobretudo pelas desvalorizações acima de 1% registadas pelas ações da Jerónimo Martins e do Banco Comercial Português.

 

O principal índice da bolsa portuguesa terminou o dia nos 5.181,38 pontos, com nove cotadas a descer, sete em alta e duas sem variação.

 

Nas praças europeias o dia foi de quedas ligeiras, com os investidores cautelosos perante a proximidade da importante reunião do Banco Central Europeu (quinta-feira), os desenvolvimentos nas negociações para um acordo comercial entre os EUA e a China, a crescente tensão entre o Irão e os Estados Unidos e os resultados das companhias norte-americanas e europeias.

 

Em Lisboa a Jerónimo Martins foi a que mais pressionou o PSI-20, com uma queda de 2,01% para 14,60 euros. O banco de investimento Berenberg cortou em 8% as estimativas para o EBITDA da retalhista portuguesa e reduziu a recomendação de "comprar" para "manter", de modo a refletir o impacto do novo imposto sobre as retalhistas na Polónia, cuja implementação o banco alemão vê como cada vez mais provável.


O Banco Comercial Português manteve a toada negativa das últimas sessões e perdeu terreno pela quarta sessão, em linha com o comportamento do setor. As ações desvalorizaram 1,68% para 26,9 cêntimos. A Bloomberg publicou esta segunda um "outlook" para os resultados dos maiores bancos europeus no segundo trimestre, que deverão ser impactados de forma negativa pela política monetária do BCE.  

 

O banco liderado por Miguel Maya publica as contas na próxima segunda-feira, 29 de julho. O CaixaBank BPI estima que o BCP terá fechado o primeiro semestre com um lucro 12% superior ao registado no ano passado. Contudo, isolando o segundo trimestre, os resultados terão diminuído 90% devido a uma série de eventos não recorrentes.

CTT, Sonae, REN também deram um contributo negativo para a evolução do PSI-20. Já a contrariar a tendência negativa, as ações da Nos somaram 0,6% para 5,83 euros, no dia em que apresenta os resultados do segundo trimestre. Esta semana serão 13 as cotadas portuguesas que revelam resultados trimestrais.

 

Ainda em alta destacou-se a Galp Energia (+0,18% para 13,975 euros), devido à alta dos preços do petróleo, bem como as cotadas do setor da pasta e papel, que ocupam os três primeiros lugares das maiores subidas no PSI-20. A Semapa avançou 1,47% para 12,42 euros, a Altri somou 0,84% para 5,975 euros e a Navigator subiu 0,82% para 3,20 euros.




Marketing Automation certified by E-GOI