Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Matérias-primas e empresas financeiras pressionam Ásia

As acções asiáticas negoceiam em queda, com as empresas de matérias-primas e financeiras a liderarem as perdas, depois de os preços das matérias-primas terem descido e de o banco de crédito ao consumo, Aiful, ter anunciado que vai registar prejuízos no final do ano.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 24 de Setembro de 2009 às 07:45
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
As acções asiáticas negoceiam em queda, com as empresas de matérias-primas e financeiras a liderarem as perdas, depois de os preços das matérias-primas terem descido e de o banco de crédito ao consumo, Aiful, ter anunciado que vai registar prejuízos no final do ano.

O MSCI Ásia – Pacifico recuou 0,3% para 118,38 pontos. O índice subiu 41% nos últimos seis meses, com as medidas de estimulo dos governos mundiais conduziram as suas economias a sair da recessão.

“A visão consensual é agora de que o pior já acabou”, disse o gestor de fundos da Pengana Capital, Tim Schroeders. “Precisamos de mais evidências de que os fundamentais da economia são mais auto-sustentáveis e menos dependentes de estímulos, de forma a justificar preços mais alto, a partir de aqui”, acrescentou.

A Aiful, que é o segundo maior banco de crédito ao consumo em termos de activos, desceu 21% para 106 ienes, depois de ter apresentado uma previsão prejuízo para o final do ano e de ter dito que pretende corta 40% da sua força de trabalho.

A generalidade dos mercados asiáticos perdeu terreno hoje, à excepção do japonês e do indonésio.

O Nikkei subiu 1,67% para 10.544,22 pontos e o Topix avançou 0,56% para 944,69 pontos. Os índice japoneses estiveram encerrados para a férias nos últimos dias. Os índices japoneses negociaram em alta, apesar de um relatório do governo ter mostrado que as exportações desceram pelo 11º mês.

A Japan Airlines caiu 16%, antes de uma reunião com o ministro dos transportes, para discutir uma reestruturação.

O Shangai Composite desce 1,9%, com preocupações de que a colocação de mais capital das empresas em bolsa levem os capitais a saís da acções actualmente cotadas.

O Hang Seng de Hong Kong cai 2,8%, com a Metallurgical Corporation a liderar as perdas ao descer 12% no seu primeiro dia de negociação.

Após dois dias de reunião, a Reserva Federal norte-americana, alterou o último parágrafo da sua declaração, para dizer que “vai utilizar uma grande variedade de ferramentas” para impulsionar a economia. Na sua declaração de Agosto, o banco central dizia que ia usar “todas as ferramentas disponíveis”, para o mesmo efeito.

Ver comentários
Outras Notícias