Bolsa Menores receios de recessão nos EUA animam Wall Street. Mas não basta

Menores receios de recessão nos EUA animam Wall Street. Mas não basta

As bolsas norte-americanas encerraram em terreno misto, animadas por novos dados económicos dos EUA que apontam para que os receios de uma recessão sejam exagerados mas também pressionadas pelas incertezas na frente comercial.
Menores receios de recessão nos EUA animam Wall Street. Mas não basta
Reuters
Carla Pedro 23 de setembro de 2019 às 21:09

O Dow Jones encerrou a somar 0,06% para 26.950,26 pontos, ao passo que o Standard & Poor’s 500 ficou praticamente inalterado face a sexta-feira, com um deslize marginal de 0,01% para 2.991,77 pontos.

 

Por seu lado, o tecnológico Nasdaq Composite cedeu 0,06% para 8.112,46 pontos.

 

Os novos dados económicos provenientes dos Estados Unidos reforçaram a convicção de que os sinais de recessão percecionados no mercado obrigacionista foram exagerados, bem como os receios daí decorrentes.

 

Os dados da IHS Markit mostraram que a economia norte-americana continua a ser a líder a nível mundial, o que ajudou à tendência.

 

"O crescimento global está a desacelerar, mas nos EUA o crescimento económico continua vivo", comentou à Bloomberg um estratega da Informa Financial Intelligence, Ryan Nauman.

 

Além disso, a garantia dada pela Reserva Federal norte-americana de que está pronta a atuar se for necessário (se houver uma debilitação da economia do pais) continuou a aliviar os investidores.

 

Estes dois fatores acabaram por ter mais influência no sentimento dos investidores do que o impasse na guerra comercial entre Washington e Pequim e a meia hora do final da sessão os três grandes índices do outro lado do Atlântico negociavam todos no verde.

No entanto, nos últimos minutos de transação, o S&P 500 e o Nasdaq não aguentaram o fôlego e apenas o Dow Jones acabou por fechar positivo - se bem que tanto as subidas como as descidas tenham sido pouco expressivas.




Marketing Automation certified by E-GOI