Bolsa Negociações comerciais e violência em Hong Kong pesam em Wall Street

Negociações comerciais e violência em Hong Kong pesam em Wall Street

As bolsas dos EUA iniciaram o dia em queda, com os investidores a digerirem as palavras de Trump e os conflitos em Hong Kong.
Negociações comerciais e violência em Hong Kong pesam em Wall Street
Bloomberg
Sara Antunes 13 de novembro de 2019 às 14:38

Os principais índices bolsistas americanos seguem em queda, com o Dow Jones a ceder 0,34% para 27.597,61 pontos, o Nasdaq a cair 0,38% para 8.453,65 pontos e o S&P500 desvaloriza 0,37% para 3.080,59 pontos.

 

A justificar este desempenho está a postura assumida por Donald Trump sobre as negociações comerciais. Por um lado, o presidente dos EUA disse que um acordo com a China poderá ser assinado em breve, por outro, deixou o alerta: se não houver acordo poderá haver uma nova ronda de tarifas comerciais.

A contribuir para a quedas das bolsas está ainda a violência em Hong Kong, o terceiro maior mercado do mundo, que tem pressionado a negociação bolsista no resto do mundo.

As fabricantes de chips e as empresas mais expostas às questões comerciais são as maiores responsáveis pela desvalorização das bolsas. A Intel está a perder quase 1%, já a Micron Technology está a recuar quase 1,5%.

 

Destaque também para a Alibaba, cujas ações estão a ceder quase 1%, depois de ter revelado que tem intenções de passar a negociar na bolsa de Hong Kong. Para tal, tenciona vender ações num montante total de 13,4 mil milhões de dólares.

 

A Apollo Global está a descer quase 1%, enquanto a Tech Data está a subir quase 4% depois de ter sido revelado que a Apollo vai comprar a empresa, numa operação avaliada em 5,4 mil milhões de dólares.


(Notícia atualizada às 14:48 com mais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI