Bolsa Nos e Jerónimo Martins sustentam ganhos do PSI-20

Nos e Jerónimo Martins sustentam ganhos do PSI-20

A bolsa nacional valoriza mais de 0,5%, impulsionada pelos ganhos da Jerónimo Martins, Nos e grupo EDP. Na Europa, a tendência é maioritariamente positiva.
Nos e Jerónimo Martins sustentam ganhos do PSI-20
Bloomberg
Rita Faria 27 de abril de 2016 às 13:21

A bolsa nacional mantém-se em terreno positivo, com o PSI-20 a valorizar 0,76% para 5.067,98 pontos, à boleia da Nos, Jerónimo Martins e grupo EDP. Das 18 cotadas que formam o principal índice nacional, 13 estão em alta, três em queda e duas inalteradas.

Na Europa, os principais índices registam ganhos ligeiros, com excepção do londrino Footsie e da praça de Atenas, que afunda quase 5% com a perspectiva de um Eurogrupo extraordinário para resolver o impasse das negociações com os credores.

Os investidores continuam atentos aos resultados trimestrais das empresas e a aguardar o fim da reunião de política monetária da Reserva Federal para obterem pistas sobre os próximos movimentos da Fed, já que não são esperadas alterações na taxa de juro. O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,12% para 347,71 pontos.

Na bolsa nacional, a Nos, com uma subida de 1,84% para 6,20 euros, é a cotada que mais impulsiona o PSI-20. A operadora anunciou esta terça-feira que os seus lucros aumentaram 5% no primeiro trimestre deste ano para 24,4 milhões de euros. Resultados que os bancos de investimento consideraram "sólidos".

A impulsionar o PSI-20 está também a Jerónimo Martins, que apresenta resultados esta quinta-feira. A retalhista valoriza 1,48% para 14,38 euros, enquanto a sua congénere do sector, a Sonae, negoceia inalterada em 98,1 cêntimos.

Na energia, a EDP avança 1,23% para 3,123 euros, a EDP Renováveis sobe 0,91% para 6,844 euros e a Galp Energia ganha 0,17% para 12,02 euros. Os analistas do CaixaBI esperam que os lucros da petrolífera – que apresenta resultados na sexta-feira – tenham caído 16% no primeiro trimestre para 102 milhões de euros.

O BPI valoriza 1,19% para 1,101 euros e o BCP desce 0,79% para 3,79 cêntimos. Depois de o El Confidencial ter referido na sua edição digital que o conselho de administração do BCP propôs ao Sabadell uma fusão entre os dois bancos, fonte oficial do BCP desmentiu "categoricamente" a notícia e diz que "não tem fundamento, já que não houve qualquer tipo de contacto".

Do lado das quedas está ainda a Pharol, com uma desvalorização de 3,5% para 13,8 cêntimos. Na terça-feira, a agência de notação financeira Standard & Poor’s desceu em um nível a classificação da dívida da Oi, que está agora no nono patamar de lixo




pub

Marketing Automation certified by E-GOI