Bolsa Papeleiras, Jerónimo Martins e EDP arrastam PSI-20 para o vermelho

Papeleiras, Jerónimo Martins e EDP arrastam PSI-20 para o vermelho

Se do lado de lá do Atlântico já foi alcançado um acordo comercial parcial, do lado europeu está difícil um consenso entre o Reino Unido e Bruxelas. Lisboa, tal como as principais praças, abre no vermelho.
A carregar o vídeo ...
Ana Batalha Oliveira 14 de outubro de 2019 às 08:15
A bolsa nacional abriu em queda, com o principal índice, o PSI-20, a ceder 0,43% para os 4.982,54 pontos. A contribuir para o desempenho da bolsa lisboeta estão dez cotadas a cair contra apenas quatro a subir e quatro inalteradas.

Na restante Europa o sentimento também é negativo. As principais praças reunem-se no vermelho numa altura em que os receios em torno do Brexit voltam a crescer. Bruxelas veio esfriar as expectativas quanto à possibilidade de um acordo entre o bloco e o Reino Unido até ao fim de outubro, a data marcada para o "divórcio". A Comissão Europeia diz que "ainda há muito trabalho a fazer". Já segundo um porta-voz do governo britânico, Boris Johnson terá dito aos membros do Executivo que, apesar de ainda ser possível um acordo, o Reino Unido deve preparar-se para sair da UE no final deste mês.

O insucesso deste lado do Atlântico segue então a ofuscar o acordo comercial provisório alcançado entre a China e os Estados Unidos na última sexta-feira. O superar de parte das divergências entre as duas nações abre caminho para o aguardado entendimento final, depois de mais de um ano em disputa. Nos termos do que foi acordado, a China fará algumas concessões no âmbito agrícola, nomeadamente com um aumento das suas compras de produtos norte-americanos, e os Estados Unidos "congelam" a aplicação de novas tarifas aduaneiras.

Para já os efeitos deste acordo ainda não se fazem sentir. Os dados das exportações e importações chinesas foram divulgados e desiludiram em relação às expetativas. 

Por cá, os pesos pesados Jerónimo Martins e EDP destacam-se no vermelho com quebras de 0,56% para os 15,06 euros e de 0,42% para os 3,59 euros, respetivamente. 

As papeleiras Navigator e Altri mostram perdas maiores e caem 1,08% para os 3,28 euros e 1,01% para os 5,41 euros. Os analistas do BPI elegem como "um dos temas da bolsa nacional" a "capacidade de as papeleiras cotadas prosseguirem a recuperação iniciada no meio da semana passada". Os mesmos analistas acreditam que "é importante frisar que, para que a recuperação assuma moldes mais sólidos, é necessário que o sentimento dos investidores em relação às empresas cíclicas se torne positivo, de forma mais vincada e duradoura".

A Mota-Engil tambémse fica pelo terreno negativo no dia em que arranca a oferta pública de subscrições de obrigações da empresa. Os investidores podem dar ordens de subscrição a partir das 8:30, com a operação a prolongar-se durante duas semanas. A empresa propõe-se pagar uma taxa bruta de 4,375% pelos títulos, que têm uma maturidade de cinco anos. O investimento mínimo é de 1.500 euros, com a companhia a pretender emitir 75 milhões de euros.  

 (Notícia em atualização)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI